SEJA BEM VINDO

ESSE É UM BLOG PARA QUEM PRETENDE LER E APRENDER RACIOCINANDO, SOBRE TEMAS COMO UMBANDA, MEDIUNIDADE EM GERAL E AUTO-AJUDA. SE VOCÊ CHEGOU ATÉ AQUI, ACREDITE, NÃO FOI POR ACASO. TALVEZ AS RESPOSTAS PARA ALGUMAS DE SUAS DÚVIDAS ESTEJAM EM ALGUNS DOS TEXTOS POSTADOS.

ATENÇÃO: VOCÊ PODE COPIAR OS TEXTOS QUE CONSTAM DESTE BLOG E USÁ-LOS EM OUTROS LOCAIS, MAS NÃO DEIXE DE INDICAR A FONTE, POR FAVOR!

Acompanhantes do Blog

sábado, 4 de maio de 2019



AVISO IMPORTANTE




AVISO A TODOS OS QUE PROCURAM OS LIVROS "UMBANDA SEM MEDO" (de Claudio Zeus) PARA COMPRAREM E ESTÃO ENCONTRANDO APENAS OS VOLUMES 1 E 4 NO CLUBE DOS AUTORES.


O LINK EM QUE DEVEM PROCURAR OS 4 LIVROS É O QUE ESTOU COLOCANDO LOGO ABAIXO:



sábado, 4 de agosto de 2018


UMA PEDRA NO SAPATO QUE ME APARECEU E QUE PRECISA SER TIRADA

     Havia prometido que a próxima matéria versaria sobre essa eterna confusão que vejo que uma grande parte de umbandistas e até supostos magos fazem por aí, mas eis que de repente, alguns amigos a mim acorrem expondo uma nova série de afirmações que andam fazendo por aí a respeito de Zélio de Moraes e sua família em relação a essa enxurrada de cursos pagos em oferta que se espalham cada vez mais e que pretendem, supostamente, informar e até formar Dirigentes de Terreiros (por alguns chamados sacerdotes) por meios teóricos e, desculpem-me, até mesmo à distância.

     Pelo que pude entender de todo esse processo, pareceu-me que a partir de agora, desde que se pague o preço justo(?), praticamente tendo uma "predisposição" a ser dirigente, qualquer um poderá ter uma formação paga para se tornar um "ilustre sacerdote", "profundo conhecedor dos mistérios da umbanda" por cursos teóricos e quiçá, abrir seu próprio Terreiro ou Centro e passar a guiar outros humanos por esses mesmos caminhos ...

     O que será que se espera com toda essa divulgação de "ensinamentos"?

     Será que seria a proliferação de Terreiros, Centros, Tendas, todos garantidos pelos cursos matrizes e seus "mestres" muito bem remunerados?

     É sério isso? Será esse o futuro da Umbanda que o Caboclo das Sete Encruzilhadas pretendia, inclusive quando dizia que "era preciso que houvesse sinceridade, amor de irmão para irmão para que a vil moeda não viesse a destruir o médium"? (Vide figura abaixo)



     Dizem alguns, que Zélio Fernandino de Moraes (médium do Caboclo das Sete Encruzilhadas e anunciador da Umbanda), assim como as suas filhas Zélia de Moraes e Zilméia de Moraes, apoiavam a divulgação da Umbanda. Até aí tudo bem. Acontece que com esse gancho parecem estar se aproveitando para tentarem apoiar cursos pagos na formação de médiuns.

     Hoje há cursos pagos para dirigentes, de magia; de exu; chegaram ao cúmulo de criarem curso pago que aborda o descarrego (desobsessão/puxada).

     Interessante notar que em toda documentação possível, Zélio de Moraes, assim como suas filhas, eram contra qualquer tipo de cobrança, incluindo cobrança para ensinar os médiuns.

     A título de confirmação queremos disponibilizar um pequeno vídeo de Zélia de Moraes, onde ela diz que jamais cobraram nada de médiuns.

     Repare você o que ela responde logo no inicio desse vídeo inédito cedido pelo irmão Gabriel Federicci - Dirigente da Tenda Espírita São Jerônimo - Cabana Estrela da Mata.


     "Traduzindo" para quem tiver dificuldade de entender:

     Entrevistadora: - "Quer dizer que a Piedade jamais cobrou nada de médium..."

    ZÉLIA : - "NUNCA!"

     A pergunta que não quer calar é:

     - Como é que eles, SENDO CONTRA COBRAR o que quer que seja de médiuns, poderiam compactuar com CURSOS PAGOS que a cada dia enchem o cofre de determinados dirigentes?

     Reflitam...

segunda-feira, 23 de julho de 2018

TENTANDO ORGANIZAR ESSA NOVA FASE


     Ora pois, chegamos ao ano de 2018 e a despeito de tantos supostos profetas terem acabado com o mundo por diversas vezes desde a virada do século, eis que aqui ainda estamos. E como já estou parado há muito tempo, apenas observando os caminhos que a "umbanda" e os "umbandistas" estão tomando dia a dia pelas interpretações cada vez mais sem nexo que vejo expostas por aí, resolvi voltar a escrever, sempre buscando a reflexão profunda (e jamais a aceitação pela aceitação), para os que aqui chegarem possam ter o direito de, não só conhecerem certos fundamentos básicos na aprendizagem do "como lidar com o mundo espiritual com que nos conectamos" sem as criatividades mirabolantes que venho observando diuturnamente, parece que na ânsia de que sejam criadas matérias e mais matérias, dogmas, segredos e mistérios onde, na verdade não existem mas servem sempre muito bem, ou para que se criem seguidores ávidos de conhecimentos sobre os tais  mistérios, ou pseudo papas "protetores dos sagrados dogmas indiscutíveis" do sei lá o quê.

     Nessa nova fase estou pretendendo abordar temas básicos e por suas bases, até mesmo para contrariar muito do que se está pregando no momento, apenas por simples empolgações, como se verdades incontestáveis fossem e, desse modo, pretendendo também passar aos que aqui chegarem  uma visão bastante nova (embora de nova nada haja) sobre certos procedimentos que soube estarem sendo executados em terreiros que se dizem de umbanda mas que ... parece que foram montados por pessoas totalmente leigas nos assuntos sobre energias, padrões energéticos, densidade energética, planos espirituais mais ou menos densos, seus "moradores" e um montão de outras "coisinhas" que, se deixadas de lado por conta de muito que se vê hoje em dia de FASCINAÇÃO (já escrevi sobre isso), erros e mais erros crassos acontecem e, claro, como também estamos vendo por aí, tanto a EXUMANIA, quanto agora mais recentemente a MALANDRAGEMANIA (a continuar nesse pé logo teremos logo a TRAFICAGEMANIA) e outras manias mais que os FASCINADOS adoram divulgar  sempre, é claro, plantando "mistérios" e "segredos ocultos" para que façam os olhinhos dos mais desprevenidos brilharem de tantas emoções e curiosidades.

     Um dos grandes problemas da Umbanda atual (vamos deixar o passado em que praticamente todos os cultos que eram uma mistura de tudo com algo mais se batizaram de umbandas) está exatamente nesse afã de divulgação em massa, creio eu.

     Parece que nessa empolgação toda de quererem divulgar o nome UMBANDA pelo Brasil e afora, começaram a aparecer supostas mensagens, psicografias, jogo de búzios, projeções astrais e sei lá mais o que, que se forem comparadas umas às outras pelo teor veremos até que são contraditórias (sem falar aqui no toque surrealista de muitas delas) entre elas e muitas das vezes contraditórias dentro do próprios texto.

     Por outro lado, a geração de Centros e Terreiros de Umbanda criados a partir de desencontros de médiuns novos com seus antes dirigentes, também, ao invés de ajudar a divulgar a verdadeira Umbanda (uma prática mediúnico-espiritual em sua essência), chegou até mesmo a reverenciar o ANIMISMO como fator imprescindível e até mais necessário que o próprio ESPIRITISMO (não me refiro aqui à Doutrina Kardecista mas sim ao verdadeiro significado que Kardec deu ao seu "ESPIRITISMO" como crença e contato mediúnico com os espíritos). Isso é até fácil de entender já que nos dias de hoje, muito diferentemente dos de antigamente, não é raro adentrar-se ao piso de um Terreiro em plena gira e, ao invés de arrepios, taquicardias, sentir "o chão tremer" e às vezes até ser tomado pelo protetor ou guia em respeito àquele chão, sentirmo-nos como se entrando em um palco em que diversos personagens desfilam na interpretação de alguns supostos papéis mas ... espíritos mesmo ... estão lá longe, se é que ali já estiveram.

     O que acontece quase que sempre nesses casos?

     Médiuns não preparados (mas acham que estão) resolvem abrir "suas bandas" e, sabendo menos ainda sobre o espiritual do que aquele ou aquela que antes os dirigiam, entendem que .... "AS ENTIDADES SABEM TUDO E É COM ELAS QUE VOU APRENDER!" Começa aí mesmo um possível passe para se tornar um "EX" (como já vi muitos) e ... sabe, né? Alguém tem que levar a culpa porque ... Culpado eu? NUNCA! JAMAIS!

     Observo que a inversão de valores que hoje em dia parece ser o filé da socialização entre os humanos ditos normais(sic), está cada vez mais presente também nos terreiros, o que nos mostra que  se fossem de verdade controlados por espíritos orientados, jamais poderia ocorrer, mas passam até pelos "senhores da sabedoria" que, cegamente e até com certa empolgação, guiam seus aprendizes por práticas para as quais acham até chifres em mulas no sentido de encontrarem justificativas para alguns procedimentos tidos como "fundamentais".

     No momento só vou tocar em um desses procedimentos como exemplo de uma prática que jamais deveria ser utilizada em Terreiros de Umbanda e é tido como norma em certos locais que, parece que sem entenderem a fundamentação do que é UMBANDA, encerram giras com o POVO DA RUA ou da KALUNGA, vulgo EXUS.

     A justificativa (chifre na cabeça de mula) é de que os Exus é que são "povo de descarga" (ou descarrego, como quiser) o que até certo ponto é verdade, mas deixam de lado o fundamento de que Exus são povo de vibrações ou energias de padrão vibratório BAIXO e que, ao saírem do Terreiro, TODOS, absolutamente TODOS, entre médiuns e visitantes, sairão NA VIBRAÇÃO DE EXUS para suas casas, ou seja, levando consigo uma vibração áurica baixa, condensada e afim a outros tipos de Exus que possam encontrar pelas encruzilhadas da vida.

     - Mas o que pode ter isso de ruim, Claudio?

     Hora de começar a pensar, a usar esse cérebro que deus lhe deu.

     Acontece que a Lei das Afinidades (muito pregada mas pouquíssimo entendida) nos ensina que os semelhantes se atraem. Já deu pra entender? Se você é um PENSADOR e não apenas um REPETIDOR, já começou a ter aquela coceirinha na cuca.

     Ah, mas isso é só quando a pessoa é de certa maneira, em seu normal, que passa a atrair semelhantes a ela ... Nada disso. Dizer isso é ignorar (ou até mesmo nem acreditar no que aprendeu, se é que aprendeu) que todos nós, quando vamos a um local em que se forma uma EGRÉGORA (olha nós falando de egrégora de novo) e que essa egrégora foi criada previamente direcionada a uma alta ou baixa vibração, saímos desse local IMANTADOS dos valores energéticos dessa egrégora e, dessa maneira, se ela for de alta vibração, sairemos imantados em energias de altas vibrações e o contrário idem. Prova disso são fatos corriqueiros em que alguém vai a um Centro ou Igreja (e às vezes até mesmo casa de alguém) e sai de lá pior ou melhor do que entrou simplesmente pelo fato de ter conseguido alcançar o nível vibratório da egrégora local, ter se chocado com ela (muitas possibilidades aqui) ou ter se sentido bastante compatível com.

     Terreiros de Umbanda e outros cultos, todos criam e alimentam EGRÉGORAS no início e decorrer de suas existências e as fortalecem e mantêm mais fortes durante os procedimentos ritualísticos que usam para atraírem os personagens do mundo espiritual com que trabalham, egrégoras essas que sofrem algumas mutações (para cima ou para baixo em suas vibrações) de acordo com "o povo que vai estar em terra em um determinado momento". Entendido isto fica mais fácil entender-se que, por mais que amemos Exus e Pomba Giras, Malandros e companhia LTDA, jamais deveríamos sair dos terreiros na vibração deles pois, a não ser que pudéssemos contar todos com o acompanhamento desses de cuja egrégora nos alimentamos até nossas casas e daí pra frente (já que sairemos imantados dessa mesma vibração), se não tivermos nossa guarda própria firme ao nosso lado, a possibilidade de atrairmos por onde passarmos, mais "povo da rua" e "da kalunga" soltos por aí (os que apelidaram de kiumbas), cresce assustadoramente.

     É preciso que se entenda que quando alguém vai a um Terreiro de Umbanda, não vai em busca de festas e fantasias (pelo menos deveria ser assim) porque ISSO NÃO É UMBANDA. Quando se vai a um Terreiro honestamente, está se buscando reequilíbrio energético ou áurico, desfazer-se de empecilhos que porventura estejam nos alcançando via mundo espiritual e que possam ser resolvidos pelos amigos que se espera encontrar nesses locais e, principalmente, espera-se sair dali em contato com altas energias com as quais se vai voltar para casa. Desse modo, encerrar-se giras na vibração de Exus é, talvez, uma dos piores INVERSÕES DE VALORES que se possa cometer que, inclusive, com o passar do tempo, provoca modificações de entendimento, até mesmo nas próprias Sessões e médiuns locais que, sendo sempre mais e mais imantados na vibração de Exus ao irem para casa, passam a ser mais e mais atuados por essa banda que, por sua vez, mesmo que aos poucos, toma conta do psiquismo particular e geral do próprio Terreiro.

     Uma das consequências desse procedimento?

     EXUMANIA/EXULATRIA - fenômenos em que a banda do "povo da rua" e "da kalunga" passa a ser reverenciada aos níveis de "orixás", "deuses", e até "anjos de guarda", principais personagens de certas "umbandas". E para desconstruir esse fanatismo ... é duro, viu?

     Lembre-se disso e, se possível, teste em seu Terreiro inverter o que foi invertido, principalmente se o seu Terreiro for daqueles que vivem em demandas ou sofrendo demandas de outros, ou encontrando demandas em tudo ou em todos, pois na faixa espiritual em que Exus, Pomba Giras, Malandros e outros existem, pelo nível evolutivo de seus iguais e deles mesmos, a "coisa" pode ser tão confusa ou mais do que aqui mesmo e as compreensões de como resolver isto ou aquilo, tão materialistas ou mais do que as compreensões que temos enquanto encarnados.

     Lembre-se de uma coisa: No seu Terreiro, Tenda, Centro ou sei lá como chama, existe (tem que existir) uma chefia espiritual que deu início a tudo o que você vem fazendo até hoje e, não sendo o seu Terreiro de Quimbanda (nos quais Exus são reis) e tendo você, honestamente o interesse de praticar UMBANDA, cabe sempre à chefia espiritual da casa resolver, SEM A INTERFERÊNCIA ANÍMICA DE NINGUÉM, como fazer para que uma boa Sessão ou Gira de Umbanda termine na mais alta vibração possível e jamais ao contrário, digam lá o que quiserem dizer os supostos "experts" no assunto.

     Uma excelente sessão de Umbanda deve deixar, tanto médiuns como assistentes, como que "pisando nas nuvens" ao ser encerrada. Se não for assim ... cuidado!

     Paz, Luz e Vitórias para todos os que aqui chegarem.


Nosso próximo assunto: ELEMENTAIS E ELEMENTARES - EXPLICANDO MELHOR

sexta-feira, 8 de dezembro de 2017

MÉDIUNS NÃO PREPARADOS - OS CUIDADOS QUE DEVEM TER

    Em minha postagem de retorno tive a oportunidade de escrever mais um pouquinho e NO-VA-MEN-TE, sobre a situação dos médiuns e principalmente dos médiuns iniciantes que, parece que por preguiça de certos "zeladores e zeladoras", ao ingressarem na corrente de algum terreiro, ao invés de receberem apoio próprio aos iniciantes, são colocados dentro das giras, normalmente como auxiliares (dizem serem cambonos pra dar certo ar de especialidade) de outros médiuns, já com mais prática e tempo de treinamento.

    A postagem, dessa feita, se dirige aos médiuns de uma forma geral e mais especificamente àqueles que, ainda não tendo "afinado" suas sensibilidades com seus acompanhamentos espirituais, tendo ou não iniciado seus treinamentos, sofrem diversos males por somatizações provenientes de influências espirituais ou até mesmo só de cunho psíquico.

    Há algum tempo atrás tive a oportunidade de ler um comentário de uma pessoa com certa mediunidade que dizia assim:

    - "Fui na sala de limpeza do (o nome do Centro eu evitei colocar) e peguei um carrego muito grande quando me aproximei da médium para tomar passe. Já é a segunda vez que isso me acontece. A primeira foi na sala de desobsessão. Queria entender o porque disso."

    Vamos começar por entender que a pessoa que "quer entender" não é afiliada a uma corrente específica (e a importância disto no início do caminho é grande  - e dependendo de cada um até o final da vida - e será explicada em momento oportuno) e sim, mesmo sendo médium, apenas visita Centros para tomar passes ou passar por descargas e já se pode antever que sua guarda espiritual não parece estar preparada para livrá-la, seja das energias ambientais (egrégoras) muitas vezes conflitantes com a sua própria, seja da atuação de alguns tipos de espíritos que muitas vezes parecem se valer das vulnerabilidades, tanto físicas quanto psíquicas, que médiuns em geral (desde que não treinados convenientemente) apresentam para atuarem diretamente sobre eles.

    Ora, um médium de fato, que acha que estará protegido(a) apenas por frequentar Centros, Terreiros ou até mesmo Igrejas, está "redondamente enganado", a não ser que se harmonize de tal forma com as egrégoras ambientais desses locais que frequente e os espíritos que por lá circulem, que, por simpatia ou outro qualquer motivo, passem a ser ajudados diretamente em função dessa mediunidade ativa e, portanto, atrativa para qualquer tipo de entidades espirituais e energias que o envolvam ou mesmo por ele passem, na rua, em casa, ambiente de trabalho, etc.

    O que costuma acontecer com esses médiuns "DE GUARDA ABERTA", como passaremos a chamar doravante?

    Basicamente a resposta nos leva àqueles exemplos em que acabam virando"produtores de problemas", ou seja, por mais que sejam auxiliados, descarregados, tomem passes harmonizantes, banhos especificados, etc., serão sempre ímãs, polos de atração ou de entrada para, tanto energias deletérias quanto espíritos que se sintam seguros para se aproximarem no intuito de "saírem ganhando alguma coisa", obtendo algum tipo de vantagem.

    Ao visitarem algum tipo de Terreiro, Centro, Igreja (qualquer lugar em que a egrégora ambiental esteja ativa), esses médiuns de guarda aberta, por não estarem em harmonia com as vibrações locais desde o início, acabam se tornando portas de entrada, tanto para energias espúrias do ambiente, quanto para eventuais "sofredores" que por ali perambulem.

    Já tive a oportunidade de explicar aqui mesmo, no Blog, que o que acontece dentro de locais como os acima citados e que se pode ver fisicamente, não chega a 10% do que acontece realmente se formos observar o lado espiritual e energético-vibratório. E levando-se em conta esses 90% teoricamente ocultos (de todos não) dos quais grande parte dos zeladores e zeladoras esquecem (ou até desconhecem) perceberemos que num mesmo ambiente e instante poderemos encontrar, por exemplo, levas de espíritos e mais espíritos que inclusive, parecendo estarem no mesmo ambiente, sequer se percebem uns aos outros (e a importância disto também você entenderá melhor no dia e que tratarmos do assunto 'PUXADAS - O PORQUÊ E COMO ACONTECEM"), principalmente os de mais baixas vibrações aos de mais altas, assim como a maioria de nós, em estado normal de percepção, não notamos a presença de amigos ou inimigos espirituais que eventualmente possam estar ao nosso lado.

    Interessante, não? Estranho para você? Não deve ser para quem é zelador (ou se diz pai no santo, ou sacerdote ...), pois isso faz parte dos conhecimentos dos dirigentes minimamente preparados para a função.

    O que pode estar acontecendo, então, com a pessoa que pretende entender o porquê disso?

    Muito simples: Pelo fato dela não estar afiliada e portanto automaticamente harmonizada, tanto com as egrégoras ambientais positivas, quanto com as falanges espirituais presentes em nível de segurança, sendo um médium DE GUARDA ABERTA como chamei, assim que adentra o ambiente ativo já vai sendo atuada por qualquer coisa que ali vibre. E como é muito mais fácil estarmos com nossas "antenas psíquicas" voltadas para o "terra a terra" (vibrações mais baixas), é dessa faixa de frequência (ou faixa vibratória) que se aproximarão dela, tanto partes de energias ambientais, quanto espíritos que por ali perambulem em busca de sabe-se lá o quê.

    Em continuidade, dependendo do quanto essas energias ou espíritos conseguem ultrapassar suas barreiras naturais (a Aura principalmente), essas energias e espíritos acabam atuando no psiquismo o que faz com que o médium DE GUARDA ABERTA somatize (sinta psicologicamente), pelo menos temporariamente, sensações nada agradáveis, até mesmo aquelas sensações com que certos espíritos fizeram a passagem (dores, doenças, medos, etc.) e das quais ainda não se livraram. O pior disso ainda é quando acabam indo para casa e levando consigo todos ou partes desses acompanhamentos traduzidos pelas sensações estranhas que acabam por absorver.

    Mas reparou que eu frisei que essas sensações e acompanhamentos costumam se apresentar por influência das baixas vibrações, tanto energéticas quanto espirituais?

    Se puras energias ou a energia de espíritos afetam uma pessoa a ponto dela somatizar sensações é porque ambas adentraram as defesas e chegaram a produzir algum nível de modificação em partes do corpo ou órgãos físicos que por suas vezes produzem essas sensações quando em estado de NÃO funcionamento normal, ou seja, de alguma forma algum ou alguns órgãos sofreram alterações, ainda que temporárias, em seus funcionamentos para que isso acontecesse. Ao mesmo tempo e como também já expliquei tanto aqui como nos livros, "QUANTO MAIS DENSA A ENERGIA ATUANTE, MAIOR É A POSSIBILIDADE DE ACESSO À MATÉRIA FÍSICA", com todas as consequências, boas ou más que isso possa trazer.

    E com isso eu quero chegar aonde?

    Simples: Se essas energias densas conseguem afetar, ainda que temporariamente, alguns tipos de órgãos do médium DE GUARDA ABERTA, repare que se for uma situação recorrente vai acabar um dia, provocando alterações não temporárias no funcionamento, principalmente em órgãos que por acaso o médium tenha mais enfraquecidos, como por exemplo, fígado, coração e até, em casos mais graves, o próprio cérebro, simplesmente porque, de tanto esses órgãos serem "irritados" (somando-se a isso os desgastes normais da vida em si) artificialmente, poderão ir perdendo o potencial de recuperação, o que faz desse tipo de médium, mais normalmente e por pequenas perdas de potencial de recuperação ao longo da vida, tenderem a ser do tipo dos que "vivem doentes" ou até mesmo, em caso de puro psiquismo (por atuações ao nível mental), transformarem-se em hipocondríacos contumazes ou até mesmo esquizofrênicos do tipo que vêem diabos, maldições e macumbas em tudo o que lhes acontece.

    Ah, mas se você acha que apenas médiuns DE GUARDA ABERTA podem passar por esse problema, está muito enganado ou enganada.

    A começar pelos pseudo-médiuns sobre os quais escrevi na postagem anterior, passando pelos médiuns mais experimentados que no entanto acreditam que "MINHAS ENTIDADES ME CURAM DE TUDO" e que por isso mesmo entram naquele estado de "EU POSSO TUDO" e chegando aos próprios Chefes de Terreiro, Centros e Igrejas, todos, em maior ou menor grau, passam pelas mesmas experiências energéticas ainda que não se deem conta disto ao longo de todo o caminho no qual acreditam que, por estarem trabalhando com a caridade e o auxílio aos necessitados, estarão, automaticamente, blindados para essas possibilidades dos tipos acima mencionados, o que é um baita erro de interpretação e motivo de muitos médiuns e dirigentes começarem a adoecer cada vez mais frequentemente com o tempo de práticas caritativas, ainda que com toda a boa intenção possível.

    Agora atente para isso: Energias e espíritos espúrios, deletérios, existem em todos os lugares, em camadas vibratórias nem sempre captadas imediatamente pelos nossos sentidos mais conscientes, o que não evita que suas atuações (dependendo das defesas de cada um) aconteçam mais ou menos fatidicamente. Nos locais em que se reúnem pessoas e, principalmente se nesses locais se fazem invocações e evocações a espíritos (sejam eles "santos", "orixás" ou simplesmente espíritos), por decorrência da EGRÉGORA imediatamente formada, sempre haverá a aglomeração de entidades espirituais de diversas castas (trazidas por acompanhamentos a pessoas de diversas castas também), de forma que, se você apenas visita um local desse tipo (Templos, Terreiros, Igrejas, Centros) e não sabe exatamente o que se passa na parte ASTRAL (aquela oculta aos olhos normais) deles, é médium ou paranormal de alguma forma e de fato, então lembre-se: Esses locais não são indicados para pura visitação social do tipo "vou lá porque não tenho o que fazer". Estar preparado, respeitoso e atento para possíveis atuações não desejáveis é muito importante, mesmo que você se ache "o protegido de deus".

    Mais abaixo você terá a oportunidade de ler o testemunho de uma outra pessoa que, tendo estado num outro Centro ou Terreiro, recebeu algumas orientações sobre sua situação espiritual, assunto que vamos "esticar"aqui rapidamente. 

    "Hoje eu recebi as vidências, mas nesse novo centro não falaram quem fez o trabalho para eu não ficar com raiva da pessoa, é regra da casa. Me falaram por alto que 3 pomba giras ou moças estavam acorrentadas e com a função de me deixarem doente, e que elas iriam ser libertadas e tratadas, induzidas ao sono e tratadas no hospital espiritual da casa. Notem que não estou falando mal de pomba giras, a casa trabalha com moças (pomba giras) que só fazem o bem. Tinha mais outros quatro espíritos colados em mim: um que morreu de avc, outra de endometriose, outra de obesidade, e outra de câncer. Disseram que eu tenho todo o tipo de mediunidade, o que eu ja sabia, por isso sou agitada. Uma médium que viu meu desespero me acalmou, dizendo que "Deus está no controle".

    Nesse caso interessante que estou levando em consideração porque sei ser possível, em que as pomba giras são citadas como causadoras do, ou dos problemas pelos quais a pessoa está passando, vemos dois tipos citados de entidades que levam a mesma classificação - pomba gira - e que, no entanto, trabalham diferenciadamente. Perceba que, enquanto umas teriam sido usadas para o intento negativo, na casa havia outras que, JÁ ATUADAS PELO QUE CHAMAMOS UMBANDA, dedicavam-se aos trabalhos de caridade da Casa Espiritual.

    O que vemos nessa pequena explanação que deve ser de realce?

    Que a Casa em questão é uma Casa que realmente pratica UMBANDA, pois segue um dos pilares preconizados como de importância pelo Caboclo das Sete Encruzilhadas que é o famoso: "Aprenderemos com os que sabem mais e ensinaremos aos que sabem menos".

    Nessa Casa, cujo nome ainda não vou citar, as pomba giras (e exus) não são divinizados, não se tornaram centros das atenções de adoradores de performances, luxos e ostentações. Ao invés disto, foram ensinadas sobre as formas de poderem ajudar ao próximo e, mesmo ainda sendo classificadas como Pomba Giras (não sei se seria o correto, talvez sim), trabalham sob orientações dos "superiores" deixando de lado o superficial e negativo de suas existências para auxiliarem aos necessitados, ao mesmo tempo em que, por essas obras, afloram mais seus sentimentos de amor e respeito ao próximo, mui diferentemente do que muitas vezes vemos por aí ... ou não?

    Eis aí um dos GRANDES DIFERENCIAIS para que você que chega até aqui, entenda um pouco mais do que é UM-BAN-DA.

    Em breve estaremos de volta.

segunda-feira, 13 de novembro de 2017

RECOMEÇO 

(para a alegria de alguns e tristeza de outros)


    Minhas saudações afetivas a todos os inscritos nesse Blog que a princípio, quando foi criado, nem tinha sequer a pretensão de alcançar a quantidade de pessoas que conseguiu ao longo do tempo.

    Meu afastamento temporário desde o final de 2012, quando publiquei o 4º Volume de Umbanda Sem Medo, se deveu, não só às "voltas que nossa vida dá" mas também à necessidade que pressenti de maiores observações sobre os rumos que "as umbandas" (ou pseudo-umbandas) estariam tomando devido a todo esse movimento de enfatização que alguns pretendem estimular, levando a prática de Umbanda ao nível de Religião, com rituais copiados "dali ou daqui", pautados em crenças quase sempre alheias ou mesmo as rebuscadas em filosofias mistas, sempre no intuito, ainda que velado, de justificarem-se práticas de Terreiro que cada um criou ou até mesmo recebeu de seus acompanhamentos espirituais como "verdades imutáveis" e até dogmas, que por certo a tornariam mais "misteriosa"...

    Infelizmente, essa necessidade de cada um sente de justificar suas práticas como "totalmente fundamentadas em práticas de Umbandas mais antigas", muitas das vezes, como já vimos aqui mesmo no Blog, faz com que certos dirigentes comecem a alardear como fatos, coisas que nunca aconteceram, ou seja, muita gente fica divulgando cabelos em cascas de ovos como se fatos verdadeiros fossem. E como há também dentre nós a prática do "COPIÔMETRO" (CtrlC+CtrlV), os "cabelos nas cascas dos ovos" que uns divulgam, outros apenas copiam e tomam para si, in-ten-cio-nal-men-te, como se verdades fossem e passam a espalhar notícias sem fundamentação ... desde que essas "notícias" justifiquem o que fazem em suas engiras, o que para eles é "a sopa no mel", como costumamos dizer.

    Resultados do que venho observando nessa Umbanda que já foi "DE TODOS NÓS" (como diria o finado W.W. da Matta e Silva), tanto pelo que acompanho e recebo pela Internet, quanto pelo que venho assistindo em Centros e Terreiros que me foram possível visitar (de preferência incógnito) é que a Umbanda, de fato, está cada vez mais irreconhecível devido a tantas inserções, cortes, invenções, "tradições" ... festas.

    Em muitas das vezes podemos observar com muito mais realce as vestimentas coloridas em giras pré-estabelecidas em que todos os "médiuns(?)" já sabem o que "vão receber" com antecedência e para a ocasião já preparam suas "montagens". Em outras ocasiões, são as grandes festas (em sua maioria na banda dos exus, claro, porque essa banda sempre permite e até estimula mais as "belezuras carnavalescas" - um dos motivos dela ser tão apreciada pelo povão) que se impõem a despeito dos objetivos básicos que justificariam o fato das entidades estarem em terra - ATENDIMENTO FRATERNO E CARIDOSO.

    Não é incomum mais, observarmos tristemente, num Terreiro que se auto-intitula "de Umbanda", médiuns maquiados, enfeitados, fantasiados de acordo com certas "entidades" que vão (ou acham que vão) "receber" para que sejam em gira, "amadas, idolatradas, divinizadas", numa contrariedade total a outro dos ensinamentos da Umbanda que é SIMPLICIDADE, que é HUMILDADE.

    O que estamos vendo (infelizmente novamente) e muito por conta dessa estimulação desastrada sobre a "umbanda de todos nós dos dias de hoje" é uma quantidade enorme de médiuns que não são médiuns (pelo menos de incorporação) e que "dão" caboclos, velhos e, claro, principalmente exus (porque exu todo mundo quer ter o seu), como se fossem e estivessem aos seus dispores como o ar que respiram, esquecendo-se totalmente de que, em se tratando de espíritos (porque é com eles que a Umbanda trata) "são gente como a gente" e por isso mesmo, além de não existirem como o ar para todos, têm, ou deveriam ter, SUAS PRÓPRIAS PERSONALIDADES, através das quais, inclusive, podemos classificar com que tipo ou tipos de entidades esteremos lidando ao longo de nossas práticas.

    O que podemos ver de médiuns tipo "cabeça de oratório" (daqueles que "recebem" de tudo na primeira nota do ponto de chamada) espalhados por aí é sim, uma enormidade. Pautam-nos numa asserção antiga que afirma que "todo mundo é médium" e nem se dão ao trabalho de irem pesquisar em que situação e a extensão que foi dada a isto. O resultado é que hoje, em muitos lugares, diferentemente de antigamente, a pessoa que é médium, ao sair de seu assento e pisar o chão onde ocorre a gira, parece mais estar entrando no palco de um teatro, não chegando a sentir a vibração, a energia ou a egrégora local que muitas vezes faziam com que ali mesmo, ao pisar em "terra segura", fosse pega por um de seus próprios acompanhantes espirituais (guarda ou carrego, como queiram).

    Ensinamentos básicos como : "A CORRENTE (egrégora) É TÃO FORTE COMO SEU ELO MAIS FRACO" parecem ter sido esquecidos ou talvez NUNCA ENTENDIDOS de fato sendo por isso mesmo  (aproveito para novamente incentivar as ESCOLAS PARA MÉDIUNS INICIANTES), que vemos na maioria dos Terreiros, ao invés de MÉDIUNS TREINADOS, um monte de médiuns (ou talvez nem isso) crus, sem qualquer treinamento básico, fazendo parte das giras e até de giras pesadas onde seja necessário "virar-se a banda" (será que alguém ainda sabe o que é isto?) para segurar-se alguma demanda pendente ou até mesmo momentânea.

    Ora, se a gira fosse, numa analogia rápida aqui, um jogo de futebol, será que o dirigente colocaria em campo, para vencer sua demanda, jogadores que nem das regras têm compreensão plena? Ou ele seria um pouco mais inteligente e só colocaria em campo aqueles que mais bem treinados estão e que têm conhecimentos, tanto das regras, quanto das possíveis táticas a serem empregadas contra o adversário com a finalidade de vencer? Eu acho que não é muito difícil responder a essa questão não! No entanto, não é o que se vê em grande parte dos terreiros que, com o tempo - isto é certo e quase imutável na medida em que insistem em permanecer com essas práticas - sempre colocando em campo pessoas não treinadas suficientemente, vão observar as EGRÉGORAS enfraquecerem e, como eu sempre alerto, as sobrecargas começarem a afetar médiuns mais antigos (que vão deixando de ser firmes) e, principalmente, os médiuns chefes que, se estiverem atentos, vão começar a ver em suas próprias vidas, mudanças para o lado negativo que não esperavam ver porque, afinal de contas: "SEMPRE TRABALHARAM PARA A CARIDADE".

    Não, não adianta reclamar depois e achar que os espíritos deviam ter avisado ... Será que os dirigentes estarão dando atenção real aos espíritos enquanto a corrente de seus Terreiros começam a "cair" e suas vidas começam a "virar de cabeça para baixo"? Ou será que estarão tão preocupados em manterem as aparências externas impecáveis, esquecendo-se das regras mais básicas de COMO CONSTRUIR E MANTER uma egrégora positiva até que os problemas de saúde às vezes, de empregos outras vezes e até mesmo de incompatibilidades entre familiares esteja em um nível tal que já não seja mais possível escondê-los?

    Bem, creio que já "falei" muito nessa primeira postagem, mas focando no que escrevi lá em cima, relativo aos COPIÔMETROS, principalmente os que interessam porque teoricamente embasariam certos comportamentos e práticas, quero lhes dizer que fui apresentado a um rapaz de nome Wanderson Cruz há uns meses atrás, um rapaz que, não sendo especificamente um umbandista e muito menos fanático pelas sedimentações pseudo-umbandistas que tantos por aí propalam, teve a ousadia (pela qual o parabenizo) de, contrariando o que vinha sendo divulgado como verdade, ir buscar NA FONTE mais apropriada, no caso o senhor Pedro Miranda, diretamente envolvido com a Tenda São Jorge, o porquê e em que período, a Tenda São Jorge adotou o uso de atabaques e também sobre os trabalhos com exus nessa Tenda, a sexta na série das que o Caboclo das Sete Encruzilhadas ajudou a fundar, segundo o protagonista que é também Presidente da União Espiritista de Umbanda do Brasil.

Espero que sirva para análises apartidárias dos que por aqui passarem e virem o que muitos não queriam ver.

Abraços afetuosos a todos e agradecimentos sinceros ao Wanderson Cruz e ao senhor Pedro Miranda e, até breve.


terça-feira, 19 de maio de 2015

DIVULGAÇÃO DE TERREIROS

Caros(as amigos(as), acompanhantes ou não. Uma das coisas que mais tem acontecido ultimamente é me escreverem pedindo que aponte Terreiros, Centros, Tendas de UMBANDA que sejam sérios, que trabalhem na CARIDADE VERDADEIRA (que não é aquela do "despir um santo pra vestir outro"), com ESPÍRITOS DE FATO, sem ANIMISMOS PERNICIOSOS e, sinceramente, não tenho condição de saber o que há de bom em São Paulo, Rio Grande do Sul, Minas Gerais, Rio de Janeiro e por este Brasil afora. Refletindo ainda hoje, resolvi abrir aqui uma página para que todos aqueles que "confiam nos seus tacos", que sabem estarem praticando ou frequentando uma Umbanda LIMPA, RESPEITOSA, seja de que derivação for, possam divulgar suas Tendas, Terreiros, Centros ou seja lá como chamem porque o importante mesmo é a prática HONESTA da MEDIUNIDADE em favor dos irmãos que nos procuram. Esta página não terá objetivo de propaganda para encher Terreiros, compreendam. A idéia é a de facilitar a todos (e são muitos) que estão à procura de um bom lugar para darem seqüência aos seu trabalhos mediúnicos ou mesmo começarem a entender o que é isso de "receber Espíritos pra trabalhar para a Caridade", em suas buscas pelos locais em que mais se sintonizem. Se você que me lê entender e concordar com a idéia achando de bom alvitre a divulgação do Terreiro (se não for o(a) Chefe de Terreiro, antes peça permissão a quem de direito, claro), é só colocar no ítem COMENTÁRIOS aqui abaixo: Nome do Terreiro: __________ Endereço: ____ Cidade: _____Estado: _____ e se possível um telefone de contato para facilitar mais ainda. Se quiser fazer mais algum comentário sobre dias de atendimento, Sessões de desenvolvimento, entidades que atendam, etc, também pode fazer. Se o Terreiro já tiver uma página na Internet, também pode colocar o link para ela. Todas as indicações que estiverem ou chegarem em COMENTÁRIOS irão sendo anexadas a esta página na medida em que chegarem e ao final de todas as novas postagens de textos, com outros assuntos, farei uma chamada aos leitores para que consultem a página de DIVULGAÇÃO DE TERREIROS pelo endereço que ela ganha agora mesmo. Essa é apenas uma tentativa de facilitar a busca para aqueles que procuram a Umbanda e vêem sérias dificuldades em encontrar locais com os quais melhor se sintonizem. Vamos ver no que vai dar!! Que OXALÁ seja sempre LUZ nos caminhos de TODOS!!
********

*********

INICIANDO :


Detalhes nesse link http://taepaiogum.blogspot.com/

COMPLEMENTANDO, ENTÃO: "Em nossa Tenda, trabalhamos com caboclos, pretos, crianças e exus. Cada um exercendo sua função e em dias específicos. Podendo ocorrer, às vezes a presença de almas de algumas outras linhas, como povo do oriente, desde que venham com o intuito de trazer a luz, a paz e o conforto para os filhos de fé.

Mais detalhes sobre os nossos trabalhos, ou no blog ou via telefone."

Mais um telefone à disposição dos necessitados inserido hoje, 03/072012, a pedido do Raphael D'Ogum, conforme publicado em COMENTÁRIOS: 51-8419 2548

*********

A pedido de um de nossos acompanhantes, como se pode ler em COMENTÁRIOS, e também porque achei que seria de bom alvitre, embora nada obrigatório porque isto pode ser explicado via fone, talvez seja interessante também ressaltarem a derivação da Umbanda que praticam como por exemplo: Traçada com Candomblé (nação?), Traçada com Quimbanda, Esotérica Pura, Esotérica Traçada com Ciganismo, Umbanda Linha Branca, ou outra qualquer que eu não tenha lembrado agora (desculpem-me!).

Está mais do que na hora dos Umbandistas assumirem suas Umbandas como elas são, não acham?

Confiam no que praticam? São honestos e têm consciência de que trabalham pela caridade e evolução?

Então esse espaço é de vocês!!!
Ajudem aos que procuram UMBANDA a achá-los mais facilmente!


***********

Endereço: 
Condomínio Bem Estar, Módulo E, Casa 38, Sobradinho - DF. (Referência: antiga Oficina do Carlinhos).

Datas: 
Dia: Sextas-feiras.
Horário: 19:00 às 19:40/20:00.
Objetivo: Evangelização e Estudo da Doutrina Espirita (Evangelho no Lar).

Dia: Sábado (15 em 15 dias).
Horário: 17:00 às 21:30/22:00.
Objetivo: Agradecimento a Deus, aos Orixás, Mentores e as 7 Linhas de Umbanda. Prática da caridade, humildade, solidariedade, compaixão. Passes, consultas, doações.

Responsáveis pela Tenda:
Regina e Bruno.

Contatos:
Telefone: (61)3485-8061.
E-mail: bruno_watts@hotmail.com
Página do Terreiro na NET: http://nossolardeumbanda.blogspot.com/



MAIS DETALHES, LEIAM EM COMENTÁRIOS NESTA MESMA PÁGINA
************


Trabalhamos com OMOLOKO (cultuamos 
as entidades da umbanda e os orixás em 
sua essência).
Nosso trabalho visa a 
evolução espiritual de cada indivíduo e o 
estudo e desenvolvimento do médium, 
pois as entidades dependem também de 
nosso conhecimento.

Nossos trabalhos abertos são realizados 
às sextas-feiras a partir das 20 horas.

Rua Lisboa, 294 - Osvaldo Cruz - São Caetano do SUL - SÃO PAULO . 


Tel de contato (11) 97864-2235


-*-*-*-*-*-*-*-
Templo do Amor Divino - Umbanda Sagrada

O Atendimento Espiritual é gratuito.

Informações em nosso site:

www.tadumbandasagrada.com.br

Nosso e-mail: info@tadumbandasagrada.com.br 

ou pelo telefone (11) 98300-3913

Estamos na Zona Sul de São Paulo na Rua Antonio Costa Ernesto, 483 Jd. Maracá.

Desenvolvimento Mediúnico as quartas e sextas-feiras.

Pai Rogério Sacerdote e Dirigente do Templo do Amor Divino

Nosso trabalho é desmistificar a Umbanda!
-*-*-*-*-*-*-


Trabalhamos com Caboclos, Preto Velhos, Exú, Erês, enfim, com todos os Orixás.
Fazemos nossas giras de 15 em 15 dias as quartas às 19:00 hrs.
Temos as terças-feiras de 15 em 15 dias consulta e jogo com vovô Pai João D'Angola.
Estudo, desenvolvimento e descarrego.
Tudo pura Caridade.

Dirigentes espiritual: Ramon D'Oxóssi e Ligia D'Iemanja
Rua Gericó, 13, Bangu, Rio de Janeiro, RJ
Ao lado da rua Porto Ametista..
Próximo a Est. Porto Nacional.

Contato: (21) 77279745 Falar com Jimbá.
Ou
(21) 77850760 Ramon
(21) 92954723 Ramon
(21) 88984497 Ligia
ID 931*28930 Cris
E-mail: prof_ramon_luiz@iclaro.com

Axé para todos os filhos de pemba.


-*-*-*-*-*-

Nome do Terreiro: Terreiro Casa do Zé
Endereço: Rua Rio Taquari s/n - Jd São Pedro
Cidade:Quatro Barras
Estado: SP 
Contato: contato@terreirocasadoze.com.br
Maiores Informações: www.terreirocasadoze.com.br

-*-*-*-*-*-


HÁ PEDIDOS DE ENDEREÇOS DE BONS TERREIROS DE UMBANDA EM SALVADOR (BA), NA ILHA DO GOVERNADOR (RJ) E SÃO PAULO (SP) "NA LINHA DE TRABALHO DE ZÉLIO DE MORAES", LÁ EMBAIXO EM COMENTÁRIOS.
OBSERVEM!

QUEM PUDER AJUDAR, POR FAVOR COMUNIQUE-SE, COLOCANDO OS ENDEREÇOS NOS COMENTÁRIOS E PEDINDO QUE SEJAM ADICIONADOS AQUI MESMO, DENTRO DA MATÉRIA.

ATUALIZADO EM 20 DE OUTUBRO DE 2012.

*******************


Adicionada em 19 de maio de 2015
************


Adicionada em 19 de maio de 2015