SEJA BEM VINDO

ESSE É UM BLOG PARA QUEM PRETENDE LER E APRENDER RACIOCINANDO, SOBRE TEMAS COMO UMBANDA, MEDIUNIDADE EM GERAL E AUTO-AJUDA. SE VOCÊ CHEGOU ATÉ AQUI, ACREDITE, NÃO FOI POR ACASO. TALVEZ AS RESPOSTAS PARA ALGUMAS DE SUAS DÚVIDAS ESTEJAM EM ALGUNS DOS TEXTOS POSTADOS.

ATENÇÃO: VOCÊ PODE COPIAR OS TEXTOS QUE CONSTAM DESTE BLOG E USÁ-LOS EM OUTROS LOCAIS, MAS NÃO DEIXE DE INDICAR A FONTE, POR FAVOR!

Acompanhantes do Blog

quarta-feira, 18 de setembro de 2013

PERGUNTAS E RESPOSTAS (NOVA PÁGINA)

     Meu mais fraterno Saravá a todos os que acompanham este Blog.


     Como se pode ver, neste ano de 2013, parece (e apenas parece) que o Blog foi abandonado pelo fato de eu não ter postado mais nada sobre novos temas. No entanto, após a publicação e divulgação do Volume IV de Umbanda sem Medo, tanto por aqui, quanto pelo e-mail que foi colocado no rodapé de cada página do livro, surgiram perguntas e mais perguntas, muitas sobre o que venho escrevendo e muitas outras ainda, sobre situações particulares de médiuns em relação a seus grupos mediúnicos (Terreiros, Tendas, Centros, etc.), suas sensações frente a essa ou aquela experiência, o que lhes era relatado lá como "possibilidade de respostas", etc., a ponto de, pelo que se poderá ver nas páginas dos vários temas, principalmente na de PERGUNTAS E RESPOSTAS (o específico), a quantidade de perguntas (todas respondidas até o dia de hoje) está tão grande que, como já aconteceu, alguns, por entenderem que só havia um página de perguntas, deixaram de postar as suas e, pior ainda, deixaram de ver e avaliar muitas outras mais.

     Por observar o acima exposto e estar, durante este ano de 2013, praticamente só respondendo às perguntas que se originaram, estou abrindo agora esta página para que possamos dar continuidade às perguntas que ainda poderão ocorrer, ao mesmo tempo em que estarei deixando lá, na primeira página de PERGUNTAS E RESPOSTAS, um aviso para que qualquer outra pergunta seja feita aqui abaixo, nesta nova página.

     Lembro-lhes, no entanto, que as perguntas referentes a Exus, Pomba Giras e congêneres, deverão ser colocadas nas páginas específicas que ficam nos seguintes links:

1- PERGUNTAS E RESPOSTAS SOBRE EXUS

2-  PERGUNTAS E RESPOSTAS SOBRE EXUS - (continuação)

Que todos vocês que por aqui transitam em busca de novos conhecimentos ou até mesmo para comparações com o que aprenderam; todos os que se dispuserem a RACIOCINAR, muito mais que somente ACEITAR COMO VERDADES INCONTESTÁVEIS, tudo o que "gira" por aí como se fosse UMBANDA DE FATO, mas sem qualquer ligação com as mais primárias exigências que lhes faz Umbanda, tenham em seus caminhos a luz de Yemanjá, Oxalá e seus GUIAS DE FATO e sempre muito positivamente, são meus sinceros desejos.

Claudio Zeus.

P.S.: Lembrando que os links para os downloads dos 4 livros (até agora) da série UMBANDA SEM MEDO estão disponíveis para todos na coluna à direita, bem abaixo do contador de visitas, junto com o link do livro "TÉCNICAS DA MEDIUNIDADE" do professor Torres Pastorino - uma excelente obra para se compreender um pouco mais sobre MEDIUNIDADE avaliada por um lado mais científico.

E os livros em ÁUDIO MP3, pra quem prefere ou precisa ouvir, têm seus links logo abaixo da "plaqueta" que anuncia nosso colaborador, a pessoa que, altruisticamente, faz a conversão para nós, o senhor MARCOS JOHNNY.

83 comentários:

  1. ola ja fiz varia pergunta para vc e agradece vc sempre respondeu pois tenho medo de per algumas coisa para minha Ba

    então nunca consegui trazer meu caboclo e descobri pela minha Ba que tenho um preto velho de frente de Herança

    e queria saber esse negocio de Herança que dizer que ele ja trabalho com um parente meu que ja morreu?

    outra coisa você poderia me dar umas dica de incorporação de preto velho

    tem como saber a linha dele pela guia dela

    e só mais uma para que serve o banho de melancia

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Salve, Roberto Ceia.

      A resposta é SIM. Quando se diz que alguém uma entidade de herança significa que essa entidade foi protetora ou guia de algum parente seu que já pode ter partido par op outro ldo ou não tem mais condição de realizar trabalhos mediúnicos com ela.

      Sobre a dica de incorporação de pretos velhos ... O que lhe posso dizer é que as energias costuma começar a ser sentidas na altura do plexo básico, na região lombar da coluna, o que nos faz, mesmo sem querermos irmos arcando a coluna como se pesasse muito. Outras sensações são particulares, tanto da entidade específica quanto da reação nervosa do médium que vai fazer a canalização.

      Não há como se saber a linha a que um preto ou preta velha se alinhe a não ser que ele/ela já venham dizendo. Depois de muito tempo, se você canalizar entidades de linhas diferentes, aí sim, aprenderá, por sensações sobre você, quando uma é de uma certa linha e outra de uma outra, ou seja, só mesmo a prática aliada a muita atenção o fará saber, sem sombra de dúvidas sobre a linha vibratória de cada uma das entidades que por você se apresenta.

      Quanto ao banho de melancia, pra mim é novidade. Nunca tinha ouvido falar em banho de melancia antes que você mesmo tenha citado em um outro comentária lá na antiga página de perguntas e respostas. Mas vou perguntar a outros. Se eu tiver melhores explicações, volto aqui para lhe trazer.

      Fraterno abraço,

      Claudio

      Excluir
    2. A melancia pode ser ofertada tanto para as crianças, como para Iemanjá, também desconheço o uso de folhas em banho.

      Excluir
  2. se um iniciante pede para que fique por exemplo na gira leva em conta para o santo da casa

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Prezado Bruno!!

      Daria pra você refazer sua pergunta.pois não estou entendendo bem o que você pretende saber?

      Forte abraço,

      Claudio

      Excluir
  3. quando uma pessoa vai fazer a iniciação para fazer parte do terreiro o santo da casa no caso do pai de santo decide se ele vai ficar na roda ou nos atabaques agora quando a pessoa quer ficar por exemplo na roda leva em conta ou ele que escolhe mesmo

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Depende do que o(a) dirigente (Pai ou Mãe NO Santo e não DE santo) observar da mediunidade da pessoa e decidir, Bruno.

      Não adiantaria a pessoa ficar na roda de médiuns se ela não tiver mediunidade em grau suficiente para canalizar espíritos,o que , infelizmente, costuma acontecer também.

      Excluir
  4. Ola!Olha eu outra vez com duvidas.Frequento um centro onde o ritual é o banto amerindo,confesso que sei pouco sobre o banto mas o que me deixa em duvida são as regras que parecem mais de um quartel,até o copo que a entidade vai beber é determinado pela mae de santo.Isso é certo?Obrigada mais uma vez,Vera

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Entenda que o regime comportamental interno de um Terreiro depende única e exclusivamente de como entendem seus dirigentes que deva ser e não da tradição na qual ele se enraíza. Desta forma, você poderá encontrar outros Terreiros que sigam a mesma tradição, nos quais, no entanto, não haja essa "militarização" à qual você se refere, Vera Lucia.

      Excluir
  5. Olá Claudio, tudo bem?
    Minha dúvida é a seguinte: Eu tenho 6 anos de santo e jurema feita no candomblé. Como me mudei de estado, aonde eu moro atualmente só tem terreiros de umbanda. Caso eu resolva sair da casa que eu sou e entrar nesta casa de umbanda, eu terei que ser um novo iniciante? Obrigado e Motumbá.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Provavelmente sim, Phellype.

      Sua experiência com Jurema ou Candomblé, não lhe dá, honestamente, o conhecimento necessário para que saiba lidar com espíritos SEGUNDO A LEI DE UMBANDA. Mas isso, dependendo da direção física da Casa de Umbanda (nem sempre Umbanda de fato, não sei se é o caso) pode ser até esquecido

      Excluir
  6. A entidade falou que eu tinha que -fazer a gira- isso significa que eu seja um medium girante?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fazer a gira não nos dá, EXATAMENTE, a noção sobre o que a entidade quis lhe passar em termos de ideia ou comportamento, Bruno.

      Pode significar que você tenha que ir as muitos Terreiros; pode significar que você tenha que ir a várias encruzilhadas; pode significar que você deva ir a vários locais vibracionais (mata, rio, cachoeira, etc), enfim, um monte de coisas.

      Se ela tivesse dito que você deveria frequentar, ou se manter na gira, ou até mesmo usasse de uma forma mais corriqueira que seria "cair na gira", ela, certamente, estaria lhe dizendo que deveria "botar o branco" ou, em outras palavras, entrar para a corrente mediúnica por ser médium.

      Excluir
  7. quando um desencarnado "preso na terra" como um -familiar- por exemplo como ajudar a seguir o seu caminho

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Esse é um dos problemas mais desagradáveis, em certos casos, pela renitência com que alguns membros familiares agem, tornando-se às vezes, obsessores de seus familiares encarnados.

      De início o que se preconiza são orações (algumas sessões até que se sinta alcançar o objetivo) aos espíritos protetores de todos, de preferência em grupo, incluindo-se aí os familiares, pedindo que encaminhem aquele espírito em direção à luz. Que ele possa ver essa luz e para ela se encaminhe apoiado pelos amigos espirituais de cada médium. ESSA IMAGEM, imbuída de sentimentos reais de carinho e amor, DEVE SER VISUALIZADA (MENTALIZADA) POR CADA PARTICIPANTE para que se crie a egrégora específica para tal.

      Se algum dos participantes tiver intenções contrárias a que o espírito se afaste e, pelo contrário, prefira que ele se mantenha preso à Terra, isso pode atrapalhar a egrégora e, por consequência, os objetivos podem não ser alcançados. Em outras palavras, TODOS DEVEM ESTAR BEM CIENTES DO QUE DEVEM PRETENDER E VISUALIZAR.

      Se isso não der resultado, entidades espirituais devem ser consultadas para melhores esclarecimentos e às vezes até mesmo sessões de desobsessão.

      Excluir
  8. ola amigo tudo bem?

    então estou interferindo muito na incorporação do meu caboclo vc tem alguma dica para me ajudar

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Roberto.

      Pra esse seu problema só existe uma resposta HONESTA, sem invenções ou sonhos visionários: É o treinamento e a afinação cada vez maior que acontece com ele que vai fazer com que, cada vez menos, você interfira nas comunicações que canaliza. Não é de um dia para o outro que, HONESTAMENTE (repetindo propositalmente) o médium em "desenvolvimento" se entrega na medida certa para que uma outra consciência assuma direitos sobre seu corpo e sua mente, a não ser nos casos em que a afinação mediúnica já tenha acontecido muito antes desse médium ter entrado para uma corrente mediúnica, o que acontece pelo fato das entidades o forçarem por seja lá a necessidade que tenha acontecido.

      Ao médium de incorporação cabe treinar, treinar, treinar, até que se sinta totalmente à vontade para ceder o corpo que está usando para um outro alguém dele fazer uso. Isso demanda muita confiança e ausência de medos, o que é muito difícil se conseguir sem que antes ele tenha um grande conhecimento sobre "quem está ali e pretende usar seu corpo", se é que você me entende.

      Excluir
  9. Sr. Claudio, Gostaria de saber por que o Caboclo Flecheiro em alguns terreiros de umbanda se apresentam como Caboclo Flecheiro da jurema? Por que no meu entender são um só. Ficarei agradecido se o Sr Claudio posse falar um pouco sobre essa falange.

    Obrigado !!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Meu caro Sr M.

      Caboclo Flecheiro é apenas um nome de UMA FALANGE de espíritos que se apresentam como indígenas nativos. Dentro dessa FALANGE PRINCIPAL você poderá encontrar espíritos de outras diversas sub-falanges (que compõem a falange principal) de diversas procedências e, assim sendo, poderá encontrar Caboclos Flecheiros da Mata Virgem, Caboclos Flecheiros DA JUREMA, Caboclos Flecheiros de Aruanda, Caboclos Flecheiros da Montanha, dos Rios, da Kalunga e por aí vai.

      Deixa eu ver se deixo isto bem claro pra evitar que outros façam a mesma pergunta sobre outras entidades.

      Uma falange é como uma torcida de futebol, por exemplo; nessa torcida você poderá encontrar gente que vem do centro da cidade e de algumas outras cidades periféricas; se essa torcida se chamar de "JOVENS PAPUDOS", por exemplo, nela você poderá encontrar Jovens Papudos (e se tratando aqui do RJ onde estou) de Copacabana, Jovens Papudos do Lins, Jovens Papudos de Marechal Hermes, Jovens Papudos de Niterói e assim por diante, todos compondo a FALANGE PRINCIPAL (ou torcida principal em nosso caso) dos JOVENS PAPUDOS, sacou?

      Excluir
  10. Boa noite!!
    Frequentava uma centro kardecista há bastante tempo, mas senti falta de alguma coisa e fui procurar a umbanda. Encontrei um terreiro e me encontrei na religião. O problema é que tenho muitas dúvidas e neste terreiro só tem atendimento com as entidades e nenhuma palestra. A medida em que as pessoas são atendidas vão embora. Eu quero muito fazer parte do corpo de membros deste terreiro, mas como tenho apenas 1 mês de frequência estou sem graça. Posso mesmo com pouco tempo falar para o dirigente que gostaria de integrar o corpo de membros? Como auxiliar dos médiuns e futuramente se houver vocação como médium.
    Muito obrigada!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Salve, Mariana.

      Basicamente, dependendo apenas de como as pessoas desse grupamento entendam seus pedidos, você pode sim, falar com o dirigente sobre suas pretensões - sobre isto não há qualquer dúvida. Quanto ao fato dele aceitar, ou não, sua integração ao grupo é que nada posso falar porque, como você deve saber, cada um tem a sua própria cabeça e sua própria forma de agir quanto a aceitações de novos membros, ainda que como auxiliares.

      Receba um fraterno abraço

      Claudio

      Excluir
  11. Boa noite claudio. Tenho várias dúvidas ms a qe mais me preocupa é a seguinte, sempre fui católica no entanto a uns dois anos conheci a umbanda e comecei a freqentar smp o mesmo terreiro por gostar mto e me identificar esse ano me disseram qe eu era medium e qe precisava pisar chao nao necessariamente aqele chao ms um com o qual me identifiqe fiqei super confusa com várias dúvidas e dp de mto estudar ler pesqisar decidi qe já estava preparada pa entrar para o terreiro perguntei para o guia chefe qe me falou qe tinha de estudar mais ms qe podia freqentar as giras de desenvolvimento tdo ok fui de viagem qnd voltei fui nu terreiro pa dar início ao desenvolvimento era gira de caboclo e a entidade qe me consultou falou qe o meu caboclo nao pisava naqele chão qe tinha outras qe poderiam descer naqele terreiro ms meu caboclo nao, eu achei estranho e falei qe gosto mto da casa e me identifico mto ele falou pra mim procurar umbandomble e pra mim n faz sentido essa mistura ms respeito qem prática voltei pro meu lugar na assistência e fiqei em oração elevando meu pensamento a Deus pedindo uma orientação pq o caboclo n poderia descer daí qndo tocou o ponto " Caboclo quando é de lei arreia em qlq lugar primeiro cumprimenta Zambi..." meu caboclo veio fui nu meio da gira e recebi pela 1 vez o caboclo qevme dizia para ter calma e qe ele ta cmg na Lei de Zambi . Pq me tentam indicar o candomble? Pq a mãe da casa não me orienta? Sera algum problema cmg? Ou com as entidades qe me acompanham? Mto obg

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Boa noite, Maria José (embora agora, enquanto lhe respondo, ainda seja tarde kkkkk)

      Eu lhe indicaria mais calma nessa sua introdução ao meio umbandista, minha cara. Nem tudo o que pretendemos saber nos vai ser ensinado no momento em que desejamos, mas sim quando necessário de verdade.

      O fato de "seu" Caboclo ter dado a resposta contrária ao que o outro lhe havia dito (apresentado-se onde ele disse que não se apresentaria) já é um bom ensinamento pra você.

      O fato do outro Caboclo ter-lhe dito que o "seu" Caboclo não pisaria naquele terreiro (e ele acabou pisando) pode ter tido duas razões:

      1- Forçar, em você (o que acabou acontecendo), inconscientemente, a maiores reflexões sobre o fato com consequente aumento do nível de contato mediúnico com o Caboclo que a acompanha ali mesmo no terreiro e a provável tomada, por parte dele, de seus centros mediúnicos. Algumas entidades usam mesmo deste artifício: colocam a pessoa numa situação de dúvida forçada pelo que dizem, o que a faz com que a pessoa, sem que perceba mas pelo fato de buscar insistentemente "dentro de si" explicações para o fato, entrar em maior nível de sintonia com aquilo ou aquele que busca, tendo como consequência até mesmo o que aconteceu com você, em alguns casos.

      2- A segunda razão seria pelo fato do Caboclo que a atendeu não ter identificado corretamente o Caboclo que a acompanha que, por sua vez, resolveu mostrar que "quando quer ou necessita, chega em qualquer lugar".

      Indicações para o Candomblé, ocorrem quando são detetadas entidades desse campo vibratório no acompanhamento espiritual de alguém, já que as entidades que "giram" nos Candomblés costumam trazer vibrações bem diferentes das que "giram" só nas Umbandas.

      Quanto a saber o porquê da dirigente não lhe orientar, você só pode saber com ela mesma, pois as justificativas para isso são inumeráveis e eu poderia destacar aqui uma ou algumas que não tivessem nada a ver com a razão real.

      Espero ter podido ajudá-la. Receba um fraterno abraço,

      Claudio

      Excluir
  12. ola tudo bem?
    to com uma duvida voce saberia qual caboclo usa a pedra de quartzo branco

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Desculpe-me o atrso na resposta. Estava de férias e fiquei um tempo longe do Blog.

      Realmente eu não sei que caboclo é este, Roberto. Não tenho conhecimentos particulares sobre grande maioria das entidades que podem se aprsentar nos mais diversos ramos da Umbanda no Brasil, desculpe-me!!

      Claudio

      Excluir
  13. boa noite amigo oque uma cabocla pode ter querido dizer em falar que eu tenho muita agua?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que você tem muita água???

      No chute eu poderia dizer que o elemento água está muito presente na sua faixa vibratória, por ser o que parece para mim. No entanto, o melhor mesmo é você consultá-la porque isso aí pode até ser uma nova gíria que se espalha e que ainda não chegou ao meu conhecimento.

      Claudio

      Excluir
  14. Olá sou curioso no assunto gostaria de saber porque em alguns terreiros de umbanda não aceita que homens receba entidades ou orixás femininos? E como o médio sabe diferenciar a entidade ou o orixá para poder receber? Por onde começa o incorporamento de um orixá e de uma entidade?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não receba "orixás" femininos? Não sei não!

      O empecilho que conheço é de não receberem Pomba Giras que, embora haja atualmente um grupamento que muito defenda essa tese, eu continuio contra por diversos fatores e muitas consequências observáveis.

      Quanto às diferenciações a que você se refere, devo lhe dizer que a experiência é muito pessoal e cada um tem as impressões ou recebe as influências de acordo com as reações de seu sistema nervoso autônomo (SNA) apresenta. Desta forma, ainda que duas pessoas recebam a influência da mesma entidade, ambas podem ter reações totalmente diferentes frente às mesmas vibrações. Se você vir duas ou mais pessoas agindo da mesma forma e dizendo sentir as mesmas sensações, principalmente sob a influência de espíritos diferentes, quase sempre isso se deverá a puros CONDICIONAMENTOS PRÉ-ADQUIRIDOS e não exatamente às influências verdadeiras.

      Claudio

      Excluir
  15. Olá..Bom dia!
    Gostaria de saber se o senhor já ouviu falar na Pombo-Gira Maria Padilha Cigana?
    Meu Orixá é Omolu. E é possível eu ter ela?
    Obrigada

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Desculpe-me o atrso na resposta. Estava de férias e fiquei um tempo longe do Blog.

      Já ouvi sim, Kaká.

      As Padilhas, em geral, se achegam muito a filhas de Oxum, Iansã e, se seu plano de vibração está ao nível das Almas, apresenta-se, também, pelo que na Umbanda se acostumou chamar de Omolu. Portanto, é bem possível sim, essa combinação.

      Claudio

      Excluir
  16. ola amigo tudo bem? você saberia me dizer para que é usado a erva barba de veio em um banho?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sinceramente não, Roberto.

      Já ouvi falar dessa planta mas, se for pra qualquer outra coisa que não descarga, não conheço outra aplicação.

      Se descobrir, pode trazer pra cá que vou aprender com você.

      Fraterno abraço,

      Claudio

      Excluir
  17. Kátia Amaral, 09/03/2014
    Boa Noite, hoje pela primeira vez encontrei seu blog achei muito interessante e explicativo..

    Então sou de criação kardesista e a casa onde frequento de uns tempos pra cá se uniu a um medium da Umbanda não tenho problemas com essas energias até gosto muito sempre soube ser médium de incorporação, leio estudo procuro respostas mais algumas coisa q são faladas me deixa muito confusa, se vc puder me dar alguma luz vou ficar muito feliz..

    1- Não entendo o pq de o meu orientador espiritua, tipo elel sempre cruza as pessoas na linha dos orixas dele e cmg nunca aconteceu isso?? trabalho junto com ele, ele diz q minha força é muito grande sou o q se chama de semi-consciente..

    2- Outro dia estavamos reunidos com uma preta velha e conversando sobre alguns fatos q se deu na casa com alguns casos de desobsessão, foi quando alguem perguntou sobre a forma desses seres e ela nos disse q são todos iguais de formas iguais, mais muitas vezes vejo eles deformados e com aparencia de monstros, vc saberia me dar alguma orientação??

    3- Sou filha de um pai e uma mãe (lógico) mais sinto ser regida muito mais pela mãe do q pelo pai e me disserão q isso é impossível será??

    Acho q para uma primeira vez esta bom!!
    Obrigado, E que a Paz do Cristo ilumine seu caminho...
    Um grande abraço de luz..

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eita!!! Vamos por partes, Katia.

      Quanto à pergunta 1 - Pode ser, e apenas pode ser, que pelo fato de você ter tido criação em meio kardecista, os companheiros espirituais que a acompanham não estejam em sintonia com esse "cruzamento" que você diz que seu orientador espiritual faz com os demais.

      Não é nada de "mais mal ou melhor", ok? É apenas uma questão de costumes aos quais certos espíritos, assim como nós, também estão arraigados.

      Quanto à pergunta 2 - A preta velha que me desculpe mas, iguais não são não! Pode ter certeza de que eles nos chegam em diversas formas e, como vc mesma escreve, uns até mais deformados que outros.

      Pode ser (olha eu tentando colocar panos quentes de novo) que a preta velha tenha dito isto pra não causar medos nos que a assistiam, tendo lá seus motivos a mais até, mas que não são todos iguais, não são não!!

      Quanto à sua pergunta 3 - Sem problema algum. Você pode ter, de frente, uma vibração feminina sim. Nem se preocupe com isso!

      Forte abraço pra você também.

      Claudio

      Excluir
  18. ola amigo estou aqui de novo kkk muito obrigado por responder minha perguntas

    vc saberia me dizer o significado do banho de essecia de violeta por 9 dias com 9 gotas por cada banho

    e se vc sobe augo sobre a linha de preto velho pai joão de cambinda

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Essas receitinhas costuma ser bastante particulares e de acordo com o teor vibratório da pessoa a quem é destinada, Roberto.

      Falando generalizadamente, esse tipo de banho serve para elevação do padrão vibratório mental daquele que dele se utiliza.

      Para saber especificamente, é necessário que se pergunte a quem o receitou porque só ele ou ela lhe poderá dar informações mais detalhadas sobre quais os objetivos que tenta alcançar quando repassa essa receita.

      Excluir
    2. Sobre a citada Linha, nada de especial também. A gente aprende isso diretamente com a entidade, se ela estiver bem incorporada e mesmo assim se ela estiver com vontade de falar sobre.

      Excluir
  19. estou em uma casa de umbada faz cinco anos.e tres anos para cá eu incorporo oxum ou ogum dependendo da minha necessidade.mas as vezes eu enchergo as pessoas e a minha fala é normal eu não falo tudo errado como os outros cablocos.as vezes eu penso que estou me fingindo e tento me corrigir dai não enchergo mais nada meu cabloco me cega.falei com meu pai do santo,ele falou que sou médio semiconsciente .que com tempo isto para .mas te pergunto se é normal enxergar um pouco.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Normal sim , Anna.

      Essas sensações, que na verdade são reações de nosso sistema nervoso autônomo, vão passando com o tempo e a maior harmonia entre você e os espíritos que por você se apresentarem.

      Excluir
  20. Claudio, o que você pensa sobre o banho de bebidas? por ex: um exu receitar para uma pessoa um banho de pinga... trabalho em uma casa aonde já acompanhei casos assim, porém as entidades que trabalho dizem sempre para eu não fazer e uma vez uma consulente foi perguntar se ela poderia fazer um banho de pinga para "firmar" o exu dela e para descarregar o exu eque trabalho disse que não... pinga atrairia egun? outra: o que pensa sobre o banho de abô na Umbanda??? nesta mesma casa que trabalho eles preparam um banho que chamam de abô, que conciste em várias ervas, e eles misturam bebidas as vezes, em pequenas quantidades, mas misturam, o banho fica guardado o na inteiro e as vezes é pedido para os médiuns tomarem nas suas próprias casas, a vó que trabalho tbm disse para eu não tomar, disse para eu pegar em respeito a casa mas para não tomar, depois disso fui pesquisar e o abô é algo totalmente diferente, até a forma de preparo... acha que haveria algum problema sobre essas divergências da casa que trabalho e da orientação das entidades? gosto da casa.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sobre o banho de pinga e pra que eu não tenha que me estender demais, respondo-lhe o que é exatamente a verdade:

      1- NÃO TOME JAMAIS!
      2 - Não atrai Egun (que quer dizer ESPÍRITO) positivo. Apenas NEGATIVO. E se for na cabeça, então ... nem pensar!

      Sobre o banho de Abô na Umbanda. É pura e simples INVENCIONICE de alguns curiosos que montaram terreiro, misturaram tudo e chamam de Umbanda. Como você mesmo já pesquisou, ABÔ é algo bem diferente disso que dizem por aí sê-lo e tem finalidades que muito provavelmente esse pessoal não conhece.

      Parabéns para seus PROTETORES!! Eles estão certíssimos em orientá-lo desta forma!!!

      Agora, se houver divergências pelo fato de você não cometer essas besteiras nas quais eles creem, então, meu caro ... pernas pra que te quero? Saia da Casa de modo respeitoso e procure um lugar onde lhe possam orientar mais adequadamente.

      Em verdade, frente ao que você expôs em relação ao que lhe ensinam seus amigos espirituais, tenho quase certeza de que eles mesmos vão lhe indicar caminhos diferentes caso venha acontecer desavenças por causa dessas coisas.

      Só lhe digo uma coisa que pretendo que você leve em conisderação: SE SEUS PROTETORES DISSEREM OU LHE INTUÍREM PRA SAIR DE LÁ .............. SAIA SEM PESTANEJAR.

      Fraterno abraço,

      Claudio

      Excluir
  21. Alguem pode me responder por favor "porque voce é da Umbanda?"É pra um trabalho...
    Desde ja agradeço

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. No meu caso, Tatiane, fui levado, a princípio por curiosidade e posteriormente ingressei porque meus amigos espirituais se apresentaram e me orientaram por diversas maneiras, no sentido da continuação.

      Excluir
  22. Tatiane, passei por várias religiões, entre igrejas evangélicas, católica e kardecismo... no kardecismo conheci uma pessoa da Umbanda, comecei a me questionar se a Umbanda era tudo aquilo que diziam ser, falo sobre trabalhos de amarrações e tals... comecei a estudar, fui me apaixonando pela maneira simples da Umbanda, pela forma de fazer a caridade, por todo o trabalho e pela energia... hj a Umbanda me chamou e não pretendo sair dela!!
    !

    ResponderExcluir
  23. Olá Claúdio!
    Descobri hoje esse blog e fiquei muito feliz!
    Tenho escutado o áudio dos seus livros e muitas coisas me deixam mais na dúvida rs (até pq o áudio é muito corrido).
    Então lá vai a primeira...
    Qual a diferença entre mediunidade karmica e mediunidade missionária?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. RESPOSTA EM DUAS PARTES PORQUE FICOU MUITO GRANDE.

      Na mediunidade Karmica (ou cármica), a pessoa deve ter assumido algum tipo de compromisso antes do nascimento ainda (assim nos ensinam) em relação à sua própria evolução e a ajuda, através de sua mediunidade a possíveis companheiros de outras encarnações, ou até mesmo antigos adversários que, através de sua mediunidade, desde que seja bem orientada, desenvolverão trabalhos edificantes que os levarão por caminhos de evolução.

      Normalmente esse tipo de mediunidade se apresenta de forma mais radical e a pessoa que a tem, quando não procura a espiritualidade pela dor (doenças, atrasos de vida, etc.) chega a sofrer tomadas de sua consciência (em vários níveis) antes ainda de ter tido qualquer contato com as religiões ou cultos que trabalham com a mediunidade, sendo esses incômodos, os sinais que os espíritos criam para que se lhe chamem a atenção sobre "o que veio fazer com sua mediunidade aqui na Terra".

      Quando acontece isto, a pessoa é quase que forçada a procurar algum lugar que possa lhe dar orientações para o uso dessa mediunidade ou até mesmo, em mais raros casos, a pessoa "já vem preparada", como se diz, e passa a canalizar entidades espirituais sem nem mesmo ter recebido orientações de como lidar com elas, podendo isto ser positivo em alguns casos e negativo em grande e maior parte, já que se assim acontecer o médium fica totalmente dependente de apenas o que seus companheiros espirituais podem lhe oferecer de orientações, segundo o que eles sabem e nada mais. Se ele deu sorte de seus companheiros serem de graus evolutivos maiores, tudo bem. O problema acontece (e muito) quando os espíritos que "tomam" essa pessoa são de graus evolutivos iguais ou até inferiores ao dela, pois nesses casos, acabaremos encontrando, depois de algum tempo, o médium desorientado, sendo conduzido por entidades idem e, pior ainda, crentes de que estão "na crista da onda".

      Excluir
    2. O caso da mediunidade missionária é menos radical. Quando um indivíduo vem (nasce) com uma certa missão, nesse caso, além de só ficar dando consultas e ajudando uns e outros a resolverem problemas particulares e não passar muito daí ainda que esse trabalho seja nobre também, ele traz consigo (em seu carrego espiritual) entidades que tenham conhecimentos superiores sobre as vidas, espiritual e material e, por esse motivo, pode se tornar "professor" que, tanto pode ensinar sobre o que já está instituído como práticas e doutrinas dentro de um culto ou religião, bem assim como também pode, por intercessão desses espíritos, trazer novos ensinamentos que, desde que estejam dentro de padrões aceitáveis e nada muito fantasiosos, podem ser espalhados aos que quiserem aprendê-las, ao mesmo tempo em que pode "forçar" quem o escuta a melhores e maiores reflexões sobre cada coisa que tenha aprendido antes ou que esteja aprendendo com ele(a), já que todos nós temos, por dever e até obrigação, aprender sobre nossa individualidade (enquanto espíritos unos - entidades espirituais que somos) e o que ela significa no nosso processo de evolução espiritual.

      Como o acompanhamento desse tipo de médium costuma ser de espíritos menos dependentes dele para suas próprias evoluções (caso contrário para os de mediunidade kármica) se o médium, por qualquer motivo, deixar de cumprir sua missão, ele não é forçado a voltar a ela, pois espíritos não dependentes do médium, quando vêem que ele não está preparado para a missão ou dela abriu mão, simplesmente vão se afastando e buscando outros médiuns mais capazes de transmitir suas mensagens.

      Se pelo fato do afastamento desses espíritos o médium vai acabar recebendo influências menos benignas e mais interesseiras, muitas vezes dando os mesmos nomes de seus antes companheiros ... aí é um outro papo e vou simplificar num simples SIM, por enquanto.

      Há também o que poderíamos chamar de "mediunidade mista" que seria o caso daquele que, além de se obrigar a dar chances de evolução através do trabalho mediunico aos companheiros compactuados antes do nascimento, também recebe missões "educativas", assim diria, de forma que, além do "trabalho braçal" (aquele de atender a quem necessário for) tem também a capacidade (sempre dependente de seu acompanhamento) de transferir ensinamentos advindos diretamente dos espíritos que o(a) acompanham.

      Se ficou algo complicado, pode perguntar, viu?

      Fraterno abraço,

      Claudio

      Excluir
  24. Oi, escrevo essa mensagem mas sinceramente não sei por onde começar. Desde criança sempre me senti muito inseguro e tive vários problemas com professores e alunos e era sempre tido como o garoto sem jeito, sem futuro, sem rumo, mesmo tendo boa situação financeira e estudando sempre nas melhores escolas, meu pai sempre se esforçou muito para dar a melhor educação para eu e minha irmã. Acontece que eu nunca fui de ter muitos amigos e sempre tive muito medo de assuntos como espíritos e demônios, apesar de desde criança frequentar casas espiritas kardecistas, nunca estudei sobre o assunto e não prestava atenção em nada. A primeira coisa que me lembro que foi estranha que aconteceu comigo foi quando eu era criança eu estava deitado e veio na minha cabeça que tinha um monstro meio humano colocando as duas mãos esticadas em cima da minha cabeça meio que rezando ou algo assim, imediatamento eu me senti muito mal e sai correndo pela casa gritando, senti uma sensação que nunca senti na minha vida como se fosse morrer, como se estivessem tentando me tirar do meu corpo, senti isso outras vezes mas depois parou. Na escola algumas vezes eu fingi que passei mal para chamar a atenção, mas a coisa foi tão estranha que quando eu fingia eu realmente sentia, mas eu sentia que tive que fazer aquilo. Na minha adolescência por volta dos 15 anos uma vez coloquei a mão no meu pescoço e cismei que tinha câncer, minha vida virou um inferno depois disso, ia a vários médicos e todos diziam que eu não tinha, mas minha cabeça não aceitava , continuava dizendo que eu tinha e procurando, comecei a ter muito medo de doenças, principalmente câncer e aids e sempre achava que estava com elas ou que poderia pegar a qualquer momento, mesmo não tendo vida sexual na época, mas quando eu ia ao barbeiro eu já achava que estava contaminado, e quando chegava a noite eu só pensava nisso, não conseguia estudar nem fazer nada, pois 24h do dia era esse meu pensamento, e era totalmente involuntário pois mesmo eu querendo pensar em outras coisas ele insistia em vir. Sempre fui antissocial e as vezes me esforçava para fazer amigos, mas de alguma forma eu sempre atraia confusão, logo fui me afastando das pessoas cada vez mais e me entregando a comida e engordando e me achando horroroso. No final da adolescência eu comecei a achar graça da loucura, e minha cabeça xingava as pessoas e criava situações deploráveis, eu sempre tentei lutar contra mim mesmo, pois parecia que minha cabeça tinha vida própria sempre no sentido de me prejudicar. Eu sempre dizia que era bicho do mato e achava graça disso, eu meio que sempre me tratava como um bicho mesmo, ou melhor, minha cabeça, por mais que eu quisesse coisas boas ela sempre me dominava e eu cedia. Quando comecei minha vida amorosa tive duas decepções terríveis, uma após a outra, e na segunda prometi para mim mesmo que não iria sofrer mais, acabei encontrando na internet cursos do gasparetto, que sempre falava de auto estima e que nos devemos colocar em primeiro lugar, me identifiquei com aquilo e comecei a colocar em pratica, comecei a me sentir poderoso, confiante pois ele dizia que nós eramos Deus e não dependíamos de ninguém. Com o tempo ele ensinou técnicas de falar com as "sombras", que de acordo com ele eram nossas forças guardiães e que no caso elas nos diriam o que fazer em caso de duvida e o que seria melhor para mim além de que elas seriam minhas protetoras, eu não podia querer coisa melhor, mas eu sempre agia com boas intenções desde o principio, nunca desejando mal a ninguem. Então eu invoquei as sombras como ele ensinou e a partir dai minha vida virou um inferno sem eu perceber, eu senti as sombras e elas falavam comigo e me diziam o que eu tinha que fazer a todo momento pois eu nunca sabia então sempre invocava elas para me dizer, chegou a um ponto em que eu nem precisava invocar, elas já estavam comigo e me falando o que era preciso ser feito. Acabei deixando de estudar completamente, faltava direto a faculdade, virei uma pessoa

    ResponderExcluir
  25. extremamente egoísta que de acordo com as sombras e com o próprio gasparetto o egoísmo não era egoísmo e sim a gente mostrar que se ama e se da valor. Deixei de me importar com os sentimentos dos outros, virei extremamente promiscuo além de ter ficado com problemas de ereção, não sentia prazer nenhum com as relações sexuais que eu tinha, resumindo eu entrava em situações complicadíssimas e nem conseguia pensar sobre isso, não conseguia questionar nada, na verdade eu nem tentava, era movido ao medo, virei escravo das sombras, os pensamentos de doença só pioravam, e eu não sabia o que havia de errado pois achava que aquilo tudo era bom, eu me tornei várias pessoas diferentes. No ano de 2011 eu comecei a achar que alguma coisa estava errado naquilo, mas não sabia o que era , eu era totalmente dependente das sombras, era rebelde, e achava que era tudo bom, sentia muitas coisas estranhas no peito, uma dor enorme, um vazio, algo indescritível, tinha uma ansiedade altíssima e pensamentos perturbados. Mas nesse mesmo ano de 2011 eu já meio que frequentava uma casa espirita kardecista e meu pai conheceu uma psicóloga e depois de um tempo eu comecei a ser paciente dela, no primeiro dia da sessão que foi com meus pais, eu estava muito estranho, ela me perguntou como se dava esses pensamentos com as doenças que foi o que eu falei com ela, eu disse que eram como se fossem vozes que me invadiam a cabeça vindo de fora pra dentro, e sempre falando você vai ficar doente, você deve fazer isso, etc... ela logo disse que eu sofria de obsessão espiritual. Com o passar do tempo eu contei do gasparetto e das sombras, e eu tinha o habito de colecionar pôneis e fantasiava que eles conversavam comigo. Essa minha psicóloga trabalha com hipnose e ela por ser espirita kardecista e sempre estudar muito, também era médium e tinha os mentores dela, que depois ela me revelou que foram eles que revelaram pra ela que o meu problema era obsessão. e durante as sessões de hipnose as coisas começaram a se revelar, eu via coisas terríveis e era pego por uns espíritos, ela sempre interrompia a hipnose quando algo assim acontecia, então ela pedia para eu imaginar um lugar bonito e eu começava a me sentir bem, e depois de um tempo nas sessões de hipnose eu ia para um hospital em um lugar muito bonito onde haviam médicos, e eles começaram a tirar aparelhos do meu corpo, umas larvas, bichos, coisas muito estranhas, aparelhos no meu cérebro, meus ouvidos, coisas em forma de amebas grudadas em mim, quando os médicos faziam isso eu me sentia outra pessoa, bem e leve. O tempo foi passando e eu não acreditava nessa hipótese de obsessão, mas com muita dificuldade fui deixando tudo o que aprendi no gasparetto e com muita dificuldade consegui deixar de falar com as sombras, depois disso minha vida virou um inferno, comecei a sentir sensações terríveis, ameaças, comecei a achar que a loucura era algo bonito, e a querer isso pra mim, comecei a pensar em suicídio pois de acordo com as vozes que vinham pra mim jesus disse vinde a mim os que estão aflitos que eu os aliviarei, e isso significava que eu deveria me matar, já cortei os pulsos, mudava de personalidade e de nomes, agia de forma diferente, eu sentia que alguma parte da minha vida estava em branco, como se eu não lembrasse de algo, pensei em me internar num hospício, brigava constantemente com meus pais. Minha psicóloga insistia que eu deveria estudar o espiritismo e o que era obsessão e frequentar a casa espirita para ouvir as palestras, acontece que eu sempre chegava muito atrasado, não conseguia prestar atenção em nada pois eu dormia e mesmo que tentasse não conseguia focar. Eu achava que era tudo minha imaginação e que eu não precisava estudar, não acreditava nessa historia de aparelhos implantados em mim. Com o tempo com as sessões de hipnose depois de retirar mais uma vez esses aparelhos em meu cérebro, bichos, etc... me sentindo leve e muito bem consegui visualizar o medico que cuidava de mim, ele disse que o nome dele era Dr.

    ResponderExcluir
  26. Bezerra de menezes e me revelou coisas sobre ele que eu não sabia, não fazia ideia de nada, quando contei pra minha psicóloga, ela chorou, e disse que ela realmente trabalhava com ele, e que aquela seria uma chance de eu acreditar. Ele me revelou que cuidava de mim pois eu já tinha sido um enfermeiro do grupo dele e que eu era perseguido por espíritos da falange dos dragões, pois eu havia sido um dragão e que tinha me redimido com o tempo e eles continuavam me perseguindo e que eu precisava estudar, e me dava conselhos bons. Depois que constatei que existia um Dr. Bezerra de menezes, eu não pude mais duvidar, comecei a correr atrás da minha recuperação, a coisa ficou infinitamente vezes pior pra mim, eu passava mal, era derrubado no chão, meus pés começavam a andar pra traz sozinho, no meio do shopping fui derrubado no chão e começava a incorporar algo com muita raiva e ódio, gritava , e falava coisas feito um bicho. Não conseguia chegar ao tratamento de fluidoterapia que eu fazia, e quando recebia passe me sentia sujo, via vultos passando pelo meu quarto, sentia presença de alguma coisa do meu lado muito ruim ,passava mal durante as aulas, tinha pesadelos terríveis, onde era chicoteado, amarrado, ia pra lugares terríveis. Mesmo assim eu nunca li nada sobre os dragões ou doutor bezerra de menezes pq não conseguia estudar nem ler, quando abria o evangelho minha mão fechava. Comecei o tratamento de desobsessão e as coisas começaram a piorar mais ainda, eu era enforcado por uma força estranha. e durante chegou um momento que eu realmente me esforçava muito para ler o evangelho segundo o espiritismo, mas não conseguia entender nada pois só lia oração mas sempre era atrapalhado, e chegou a hora em que as desobesessões na casa espirita já não surtiam mais efeito, no momento o espirito se grudava em mim de tal forma e dizia que não iria sair. Entrei em desespero, foi ai que frequentando uma psiquiatra contra a vontade da minha psicóloga ela me constatou como esquizofrênico, psicótico, e me passou remédios, nesse momento uma amiga de anos da familia sabendo desse ocorrido, achou um absurdo eu tomar esses remédios, falou que tinha uma irmã que era da umbanda e que era pra minha mãe conversar com ela. Eu me recusei a ir pois achava que era coisa ruim, mas incentivado pela minha psicóloga que nessa ocasião deixou de me atender pois estava em um desgaste muito grande, e desde que começou a me atender começou a sofrer ataques também embora ela conseguisse de certa forma se defender, resolveu deixar de me atender pois nas sessões ela não poderia fazer mais nada, inclusive ela nunca conseguiu realizar um trabalho psicológico comigo já que tentava de todas as formas me ajudar nesse caso de obsessão, onde em parte eu dificultei muito por não acreditar, cansado das perseguições espirituais aceitei ir, a coisa foi ao nível máximo de pior, comecei a incorporar constantemente espíritos trevosos e pesadíssimos, e durante as sessões de umbanda de desobsessão eles se revelaram e falaram muitas coisas através de mim, tinham que vários homens me segurar pois eu perdia completamente o poder sobre meu corpo, enfim, com o tempo o caboclo que era responsável pelo centro disse que havia acabado, pois eles estavam se arrependendo e começaram a bater cabeça e ir embora, eu sai de lá sem acreditar muito mas realmente não senti mais nada, comecei a ter uma vida mais ou menos normal, pois me sentia um pouco perdido e desorientado em quem eu era, o que eu gostava e o que eu faria, estava habituado a fazer coisas erradas e de certa forma continuei fazendo, como fumar, ter amizades ruins, promiscuidade. mas com o tempo frequentando o centro de umbanda comecei a fazer o desenvolvimento mediúnico, o primeiro espirito que veio foi um preto velho, mas vinha tudo muito calmo e muito devagar, com dificuldade e sem muita firmeza, sempre estive muito consciente, mas deixava o corpo relaxado para não interferir muito, com o tempo de

    ResponderExcluir
  27. desenvolvimento chegou um momento em que fui convidado a colocar a roupa branca que era definitiva, aceitei, com isso comecei a sentir mais intensamente os espíritos que vinham em mim. Comecei a me questionar dos meus hábitos, e a começar a mudar, como parar de fumar, me afastar de amizades ruins, deixar de ser promiscuo, o que de certa forma obtive êxito, pois deixei de ser promiscuo, me afastei das amizades ruins e raramente fumo, e quando fumo já me da vontade de jogar fora. Mas depois de colocar a roupa comecei a ler e estudar sobre umbanda, e comecei a ler seus livros, umbanda sem medo, durante as leituras começava a sentir muito sono e um pouco perturbado, como se algo quisesse atrapalhar, comecei a desconfiar dos espíritos que vinham em mim, e na casa de umbanda comecei a sentir que a dirigente da casa não gostava de mim e que o caboclo que ela recebe também não gostava de mim, as pessoas que sempre foram simpáticas e acolhedoras comecei a tomar implicância pois elas foram um pouco grossas comigo (como virar a cara quando estou tirando uma duvida, a dirigente falou para eu não estudar e me dedicar ao desenvolvimento apenas pois isso poderia me atrapalhar) enfim algumas epssoas que eram boas comigo começaram a ser um pouco rudes, e eu comecei a me sentir mal lá dentro, e comecei a sentir a influencia de um espirito com características femininas querendo fumar, quando relatei isso para a dirigente ela meio que disse para eu orar e me virar com isso, sendo que antes de colocar a roupa ela sempre me dispôs a ajudar e a me descarregar fazendo passagem com os médiuns da casa. Comecei a não me sentir acolhido e o medo que eu sempre tive continuava pois eu decidi colocar a roupa para praticar a pura caridade, sem intenções de retorno. Enfim estou numa casa onde saio das sessões com muita vontade de ir embora, passo mal no atendimento a assistência, não sei se devo confiar nesses guias que recebo, pois eles começaram a vir em casa, e quando falam, dizem para eu ter confiança, basicamente isso. Se eu realmente nasci para trabalhar com a mediunidade, se não for animismo nada disso que eu passei e passo, eu quero trabalhar para o bem, para a caridade, quero estudar, quero aprender, quero fazer o bem sem esperar retorno, e conseguir fazer isso sem medo, em nome de Deus principalmente. Mas acontece que não estou mais me sentindo bem vindo nessa casa, não me sinto mais acolhido, será que estou passando por um processo de obsessão de novo? O que fazer para entrar em contato com meus verdadeiros guias e protetores? Eu preciso muito de ajuda, pois me sinto meio perdido, mas tenho as melhores intenções e quero me instruir e me precaver para não ser vitima das trevas, quero agir com inteligência e amor no coração, não desejo mal a ninguém , mas minha cabeça já voltou a xingar as pessoas e pensar em destruir a dirigente do centro, mas quando os guias vem eu realmente me sinto mais leve, e o exu foi um dos últimos espíritos que eu comecei a receber, eu tinha medo mas não tenho mais, apenas tenho cuidado e respeito. Me de uma luz porfavor. Será que esses guias são os obsessores disfarçados? O que posso fazer?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Muito séria a sua narrativa, meu caro Luiz.]

      Quanto ao processo obsessivo pelo qual você passou, guiando-me por seu texto,não tenho a menor dúvida de que ele existiu de fato e de berço,como costumamos dizer quando alguns desses processos nos acontecem como consequências de outras vivências, tenham sido elas espirituais ou materiais.

      Você se deu mal seguindo as instruções do Gasparetto porque esse tipo de ensinamento só é aplicável para quem NÃO SOFRE PROCESSOS OBSESSIVOS DE QUALQUER NATUREZA pois, se assim for, o excesso de confiança no suposto "deus interior" não passará de excesso de confiança no obsessor ou obsessores que atuam diretamente na vida do encarnado.

      Trabalhos desobsessivos desse gênero (falanges obsessoras) são trabalhos difíceis e demandam tempo, egrégoras firmes e participação ativa do obsidiado no sentido de, por seus comportamentos, atitudes, etc., ir quebrando, aos poucos, todos os elos energéticos que une obsessores e obsidiados, independentemente dos processos ritualísticos pelos quais venha a passar, devendo-se compreender implícito, neste caso, que o obsidiado deva, inclusive, DEMONSTRAR ABSOLUTAMENTE aos seus obsessores que existe uma HONESTA INTENÇÃO de mudanças internas e externas em seu próprio EU, em sua própria maneira de ser e existir pois, caso contrário, se as INTENÇÕES forem apenas SUPERFICIAIS, o obsidiado estará tentando enganar a si próprio, o que não acontecerá aos seus perseguidores, pois esses o acompanham por onde for (ainda que "de longe") e são capazes de avaliar cada atitude, cada pensamento, além de sua própria capacidade de REFUTAR IDEIAS NÃO COMPATÍVEIS COM OS OBJETIVOS QUE O OBSIDIADO DIZ TENTAR ALCANÇAR.

      O Centro de Umbanda ao qual você recorreu, analisando também por sua escrita, parece ter feito um serviço positivo com seus acompanhantes, trazendo-os de volta ao nível de serem respeitosos para com a Banda e você mesmo. No entanto, quando você muito provavelmente passou a contestar o que observava no terreiro, automaticamente começou a adentrar a seara alheia e o domínio de campo de seus dirigentes, o que talvez não deveria acontecer mas acontece, sabe por quê? Vou lhe dar apenas algumas possibilidades:

      Excluir
    2. 1 - Dirigentes mais antigos, atrelados às tradições ou pseudo-tradições, nem de longe pretendem mudar uma vírgula daquilo que aprenderam e concretizaram em suas mentes como "o certo", estando ou não certos de que seja verdade;

      2 - Dirigentes, sejam eles mais antigos e mesmo os mais recentes, não aceitarão (a não ser em raríssimos casos) de um médium em "início de carreira" sugestões ou críticas àquilo que vêm praticando sob os auspícios do que aprenderam de outrem.

      3 - Dirigentes de terreiro, principalmente os mais FASCINADOS (envoltos nas artimanhas de espíritos que passaram a venerar), têm em mente, ainda que inconscientemente, o velho lema que diz assim: "EM TIME QUE ESTÁ VENCENDO NÃO SE MEXE", o que significa que, ainda que possam estar errando de todos os modos, desde que sejam acobertados por seus "amigos espirituais", em nem um minuto sequer pensarão estarem eles errados e você ou qualquer outro certo.

      4 - Tendo você passado pelo processo obsessivo pelo qual passou, não garantia segura de que TODO o processo esteja realmente resolvido. Tenha em mente o seguinte:

      Se hoje você pode hoje contar com entidade que se apresentem como Preto Velho, Caboclo ou até mesmo exu, ESSES ESPÍRITOS, ou são os mesmos que o afligiam antes, mudados no entanto, pela egrégora e a chefia da Casa em que você está ou, SÃO ESPÍRITOS EMPRESTADOS A VOCÊ por essa mesma Chefia e egrégora da qual você faz parte hoje em dia (espíritos que não fazem parte de nosso carrego natural mas ganham o direito de trabalharem através do médium pela aquiescência da Casa onde o médium trabalha).

      Como você me diz que esses espíritos estão se apresentando em sua casa, a maior possibilidade é de a que sejam os espíritos que já o acompanhavam que, mudados (ou não) estejam agora buscando sair da egrégora (corrente energética) do local que os transformou (ou não), o que, em princípio, pode vir a ser perigoso pra você mesmo.

      Vou lhe narrar uma das formas de obsessores tentarem conduzir um obsidiado pelos caminhos que melhor se adaptem, não pretendendo afirmar que seja exatamente isso o que está acontecendo com você, mas dando-lhe subsídios para uma análise mais profunda COM SUAS PRÓPRIAS CONCLUSÕES, ao final.

      Um obsessor INTELIGENTE, quando sente que vai perdendo o controle sobre seu "marionete", a primeira coisa que faz é fingir estar aceitando as novas normas comportamentais que lhe estão sendo apresentadas. Neste caso, ao invés de agir abruptamente ou brutalmente, mostrar-se-á manso, calmo, até que se torne "confiável" aos olhos menos críticos e menos vigilantes.

      Excluir
    3. Quando de posse de certo grau de confiança (apresente-se ele da forma que for, até mesmo de um "grande mestre do oriente"), como seu objetivo ainda permanece em mente, tentará separar o antes "marionete" da corrente espiritual (egrégora) que não lhe permite agir livremente, o que pode muito bem fazer através de seu próprio "marionete" mostrando-lhe ou fazendo realçar à sua percepção, as possíveis falhas que possam existir no ambiente que o mantém sob vigilância. Quando isso acontece e o médium começa a perceber essas falhas, ou já pensa em se afastar, ou em tentar modificar o que acha que está errado, esquecendo-se, totalmente, de que ali, mesmo com essas falhas que sempre existiram (humanos são humanos), foi que ele obteve seu principal alívio, o que, ato contínuo, o leva a criar na própria mente pensamentos separatistas, ou seja, EXATAMENTE O QUE O OBSESSOR INTELIGENTE quer que aconteça, já que a separação o deixará, de novo, com o COMANDO DA SITUAÇÃO.

      Se este é o seu caso, ou não, infelizmente não daria par, HONESTAMENTE, eu avaliar aqui. No entanto, se essa ideia o perturbar assim que a ler ... pode ser um sinal de que sim, você está implícito nesse contexto.

      De qualquer forma, acho muito cedo e perigoso, você tentar se afastar de seu grupo agora, ainda que as falhas estejam "pulando à sua frente". Um pouco de paciência e humildade não lhe farão nada mal pelo tempo que for necessário, até que você obtenha CERTEZA ABSOLUTA de que esses espíritos que o estão acompanhando, sejam, de verdade, ESPÍRITOS DA LEI DE UMBANDA, todos perfeitamente equilibrados e com objetivos verdadeiramente evolutivos.

      Já vi muita gente que mal deu os primeiros passos dentro do espiritismo e Umbanda e, já se achando "o máximo", saíram de seus terreiros pra abrir seus próprios terreiros ... QUASE TODOS "MISTURUMBANDOMBLÉS" se dizendo Umbandas.

      Excluir
  28. Obrigado por responder, ao escrever essa mensagem até agora se eu conseguir enviar essa, tentei pelo celular algumas vezes e todas travaram dando algum tipo de erro, agora aqui no computador a pagina já voltou sozinha, sinceramente não sei qual botão apertei para voltar mas não foram os que costumo usar para isso rs. Enfim , nesse tempo em que levou para responder pude perceber que o dirigente do centro Caboclo Pena Azul ( tive vários movimentos involuntários no corpo agora só ao escrever esse nome) quer que eu receba os espíritos apenas no centro, e não está me descarregando pois quer que eu ganhe confiança neles ali e que eles me descarreguem ali, acontece que em casa quando eles se apresentavam vinham com melhor desenvoltura, no centro eles vem mais devagar e com certa dificuldade as vezes, mas me sinto muito bem quando eles vão embora e me descarregam. Pude perceber analisando mais friamente que essa implicância minha era boba e sem muito fundamento, apenas estou tendo maiores responsabilidades agora que coloquei a roupa branca. Mas ao ver sua resposta eu imediatamente comecei a adiar a leitura, pensando em ler depois, mas me obriguei a ler, a leitura foi difícil em diversos momentos principalmente quando você diz sobre a ideia de eles estarem vindo numa forma boazinha para me enganar e eu sair de lá, meu corpo se descontrolou um pouco e eu comecei a ficar com muita raiva e xingar mentalmente e tentando pela voz também, mas acontece que agora eu já percebo que não sou eu, pq uma parte de mim gostou e se sentiu bem, ao escrever esse texto tive dificuldade pois minhas mãos tentavam me impedir fora os erros técnicos rs. Mas de uma coisa eu tenho certeza, não tenho mais medo, eu vou vencer isso tudo, sinto a força de ogum muito forte em mim e de todos foi o que apresentou melhor desenvoltura com meu corpo, mas percebi que para conseguir ter contato com ele tenho que está muito positivo e pensando em Deus e coisas boas e principalmente vontade de melhorar. Antes eu era fechado para a vida e não enfrentava nenhuma situação, agora que me abri e estou começando a enfrentar pequenas dificuldades estão acontecendo, mas pequenas vitórias também, ainda me sinto perdido mas tenho certeza de que sem Deus e acreditando no bem e em me melhorar eu não vou conseguir sair dessa. Agradeço a resposta, abraço

    ResponderExcluir
  29. O que eu não entendo é porque os caboclos insistem em dizer que esse processo obsessivo já acabou, embora eu ainda sinta, MUITO MENOS e com MENOR INTENSIDADE que antes, acontecendo. Será que eles não veem, já me falaram que podem ser espíritos que vêm da rua por afinidades e que estão querendo ajuda, alguns pode ser pois já percebi isso mas sinto que outros não, não sei, vou prestar atenção e pedir muito a Deus para me dar uma ajuda pois eu tenho essa força no bem em mim.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Isso, meu caro!

      Apegue-se ao Ogum, no qual você ja está sentindo mais firmeza e peça-lhe que ABRA SEUS CAMINHOS E SUA MENTE para que possa receber, cada vez mais claramente, orientações POSITIVAS para a desenvoltura de sua missão.

      Nunca deixe que o medo o perturbe - o medo é a principal porta de entrada para más influências - e mantea-se sempre o mais alerta possível, muito ais consigo mesmo e os seus acompanhantes do que com os encarnados que o cercam, pois, SEU CAMINHO SÓ VOCÊ PODERÁ TRILHAR e mais ninguém por você.

      Por suas últimas palavras dá pra se perceber bem um certo amadurecimento, o que é muito bom e deve permanecer sempre em regime de crescimento, mais e mais.

      Tenho fé que você vai encontrar, çpor mais difícil que lhe pareça ou que já tenha vivido, caminhos de vitórias e glórias cada vez mais concretas na estrada de sua existência.

      Que o DEUS universal vibre em energia e força positiva sobre você e que Zambi, Tupan, Olorun lhe favoreçam em tudo o que realmente necessitar.

      Receba um fraterno e sincero abraço,

      Claudio

      Excluir
  30. Olá Cláudio
    tudo bem?

    aconteceu uma situação aqui e eu queria uma orientação. É a seguinte:

    Uma senhora aqui do prédio teve uma parada cardíaca em casa. A família dela solicitou a minha ajuda e eu prontamente ajudei. Cheguei a tocar no corpo para ver a pulsação e a respiração. Mas infelizmente ela veio a falecer.

    Minha dúvida é a seguinte, como médium, tenho que tomar alguma providência, tipo algum banho específico ou outra coisa? ou não é nada de mais?

    Att.

    Marcos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olha só, Marcos.

      "Cada um é cada um" e, se você sentir (isso é muito importante porque médium tem que aprender a sentir por si) que o egum se colou em você ou se você absorveu energia que não era pra absorver, então tome sim, um bom banho de descarrego que nesse caso pode ser com alho macerado ou cânfora (ambos infalíveis para esse objetivo).

      Eu, particularmente, já estive de frente, tocando e até tentando fazer reviver falecidos e nunca tive qualquer problema posterior por causa disto não, já que não deixei as emoções (canais pelos quais mais absorvemos energias deletérias) tomarem conta.

      De qualquer forma,está aí minha opinião e, se vc ainda tiver alguma dúvida, é só escrever de novo, ok?

      Fraterno Abraço,

      Claudio

      Excluir
  31. boa noite amigo tudo bem? voce conhece o preto velho Pai João das Almas e poderia falar um pouco sobre ele?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Veja bem, meu caro Roberto.

      Eu conheci UM (uma entidade ou espírito) que se apresentava como Pai João das Almas e era um quimbandeiro.

      Como cada espírito, ainda que dê o mesmo "nome ritual" é um espírito diferente do outro, fica impossível dizer algo que não possa ser contradito logo a seguir pelo espírito que PARA VOCÊ, se apresenta como Pai João das Almas. Qualquer pessoa que tente especificar tipo, como são, o que fazem, do que gostam ou como se vestem, só pode ser uma pessoa, ou que não entenda nada de espíritos, ou que esteja querendo marcar presença aparentando saber o que não sabe, também.

      Quer conhecer o Pai João das Almas, de fato e direito?

      Converse diretamente com ele assim que puder e ele lhe dirá também o que quiser e puder dizer.

      Receba um Fraterno Abraço,

      Claudio

      Excluir
    2. na verdade foi meu preto velho que deu esse nome estou em desenvolvimento em uma casa de umbanda

      Excluir
    3. Mais um motivo, então, pra você dar tempo ao tempo, não tentar colocar a carruagem à frente dos cavalos e, pelo treinamento, ir deixando que ele se apresente cada vez mais positivamente e possa, através de você mesmo, seja incorporado, seja por mensagem telepática, seja por intuição, lhe passar os detalhes que ache necessários para que se conheçam melhor e melhor.

      Não force nada pelo que lhe possam dizer ser "assim ou assado". DEIXE QUE A ENTIDADE SE MOSTRE EXATAMENTE COMO ELA É, é o conselho que lhe dou.

      Excluir
  32. ola amigo vc conhece algum caboclo de xango aira?

    ResponderExcluir
  33. Xangô Airá?? Na Umbanda?

    O culto a Ayrá é feito apenas nos Candomblés, Roberto. Se você ou qualquer outro o traz, o melhor é que se informe na orígem do culto, ou seja, nos Candomblés.

    E não, não conheço sequer essa possibilidade de haver algum "caboclo de Ayrá". De Xangô sim, mas de Ayrá não!

    ResponderExcluir
  34. Olá Claudio,
    Depois de um ano volto aqui, agora mais esclarecida em relação a Umbanda e muito disso graças a sua colaboração, nos fornecendo conhecimento e lucidez.Como vc mesmo disse para mim em nossa ultima conversa," _ O verdadeiro senhor dos caminhos é Ogum " e acredito que através da vibração dele continuo minha caminhada, e com sorte, temos vc aqui para iluminar os caminhos ;). Achei uma casa na qual me sinto bem, e a frequento já a desde do inicio de 2013. Desde o começo, durante os passes que sempre acontecem no inicio das giras(caboclos), sou questionada se já dei passagem para meus guias, se já trabalhei em algum terreiro, e sempre digo que não, pq de fato nunca o fiz, mas sempre soube (intuitivamente) que deveria me desenvolver, mas nunca achei um lugar no qual eu confiasse e deixei isso adormecido durante muitos anos. Depois do sonho que eu tive, e relatei aqui para vc, no qual eu recebia uma guia com contas azuis colocada em meu pescoço por uma mãe no santo, e que eu a questionava dizendo que eu era filha de Iansã e não de Ogum, e na mesma hora fui repreendida com um olhar que não precisam de palavras para entender(durante um período de grande conflito em minha vida) me serviu como um chamado e fui em busca do conhecimento e de uma casa que me acolhe-se. E agora percebo a mediunidade se manifestando (antes altamente intuitiva) como nunca havia sentido antes, agora fisicamente.Sinto meu corpo tremer a ponto de bater os dentes, como se estivesse com frio, meu olhos não param de lacrimejar a ponto de molhar minha blusa (e não é choro) e a partir dai começo a bocejar sem parar iniciando um semi transe, pois fecho os olhos para tentar me concentrar, controlar tudo isso, e a coisa piora. Meus braços e mãos começam a formigar e retesar, fico a merce de ondas elétricas que sinto percorrer o corpo, tudo isso sentada na cadeira (muito desconfortável) Foi em uma gira de criança que isso começou, e fui chamada por um preto velho a ficar na roda sentada no chão ao lado dele e deixei fluir. Fiquei em extase sentada lá até a gira terminar e só consegui levantar qdo ele disse para "deixar o guri ir embora". Só conseguia ouvir o q ele dizia, não ouvia mais nada. Depois fiquei com uma sensação muito gostosa e voltei a me sentar junto aos assistidos. Na semana seguinte, passei pelos caboclos, recebi o passe normalmente, sem sentir nada, em seguida os pretos velhos e também não senti nada, mas na ultima gira que seria dos guardiões a sensação voltou de forma mais forte,eu perdi o controle do meu braço direito, ele endureceu, meu rosto formigava e um guardião veio e colocou um botão de rosa amarela na minha mão esquerda e me convidou para ir a roda. Me deixou lá, eu busquei o apoio da parede pq senti meu corpo pesar, mas conseguia me mexer, só tremia e fui envergando. Acho que cometi um erro pq eu tentava controlar o meu corpo para ficar ereta mas piorava ainda mais os espasmos musculares. Fiquei lá por uns 30 minutos enquanto a roda seguia e pessoas eram atendidas, eu não conseguia abrir os olhos, estava cansada e os médiuns se aproximavam de mim e me saudavam. Passado um tempo a vibração foi diminuindo e eu fui me recuperando e voltei para o minha cadeira com caimbra nos braços e então o pai no santo disse pra mim," vc precisa relaxar, se ficar brigando vai ficar assim(com dor), ele esta ai com vc e quer vir, então deixe acontecer." Mas eu fiquei confusa, ele quem? Pq se era um "exu" estava bem velhinho pq eu senti o corpo curvar como se fosse um velho. Então eu me perguntava, mas será que um preto velho poderia se aproximar de mim em uma gira de "exus" ou "ele" é um "exu" velhinho? E onde estará o meu caboclo, como vc disse, são eles que devem se aproximar primeiro, eu fiquei confusa e com receio. E pq afinal de contas eu estou sentindo tanta vibração masculina se eu sou mulher? (por onde andam as meninas da minha banda??...kkk)

    Grande abraço!

    Dani

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Daniela.

      Pelo que vejo você está em franco caminho para sua "ambientação mediúnica", o que parece muito bom.

      Uma boa parte dessas sensações que você descreve também eu senti no começo de minha caminhada e, particularmente as dormências e formigamentos, não me eram nada agradáveis kkkkkkkkkkkkkk

      Vou mentir pra você não.

      É natural que "filhos de Ogum", sejam eles do gênero masculino ou feminino, comecem a "dar cabeça" inicialmente, a entidades masculinas de vez que a vibração Ogum é essencialmente masculina.

      Isso não quer dizer que "suas meninas" não terão lugar em sua Banda. No momento certo elas aparecerão, é só dar o devido tempo.

      Agora quanto ao "preto velho" ou exu que se encostou em você na gira de guardiães ...

      Exus de kalunga (cemitério, almas) costumam dar esse tipo de incorporação ou aproximação - dobram o corpo do médium até que assumam um certo nível de domínio. A partir desse momento, podem colocá-lo(a) na vertical ... ou não, dependendo de como deverá ser sua apresentação (curvado, meio curvado ou não).

      Não acredito e nunca vi exu puxar preto velho (o contrário sim), a não ser que o preto velho fosse tão exu quanto ele.

      E já que você entendeu que Caboclos e Pretos Velhos (da Lei) são os que DEVEM SE APRESENTAR PRIMEIRO, evite frequentar giras de exus nesse seu período de ambientação mediúnica, sabe por quê?

      Porque a vibração exu e as entidades que por ela se apresentam, tanto por seus ímpetos, quanto pela própria facilidade maior de sintonia com os encarnados, tendem a se apressar e tentar tomar a frente no desenvolvimento das capacidades mediúnicas de todos, não sendo isso muito bom em grande parte das vezes porque se tomarem conta do médium, nem sempre o deixarão solto para que vibrações menos densas (e mais elevadas) deles se apropriem.

      Não é que isso vá acontecer em todos os casos, mas como nunca se sabe por antecedência e VERDADEIRAMENTE, quais as intenções dos exus que possam se adiantar na coroa do médium .... Lembre-se: "Seguro morreu de velho mas PREVENIDO está vivo até hoje.

      Muita LUZ em seus caminhos e que OGUM os mantenha sempre abertos para que somente o que presta possa alcançá-la.

      Um forte e fraterno abraço,

      Claudio

      Excluir
  35. ola amigo o que você sabe sobro o caboclo 7 Montanhas ?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O que posso lhe dizer está apenas no plano geral, Roberto, nada específico para cada entidade que se apresente por essa falange.

      Essa falange é de Caboclos que tanto podem vir por Ogum, quanto Xangô.

      Não são de muitas palavras e sim de ações diretas, mais concisas e tanto costuma trabalhar na firmeza dos que lhes tem acesso, quanto em possíveis demandas.

      Particularidades você tem que buscar com a entidade (espírito) que por esse nome se apresenta.

      Excluir
  36. Eu posso pedir para ficar na gira e que me batizaram como ogan mas eu incorporo e possivel ogan ser pai de santo?

    ResponderExcluir
  37. No Candomblé, se você der passagem ou "rodar" com o "santo", não pode ser OGAN de jeito nenhum.

    Nas umbandas não existem OGANS. São todos atabaqueiros (tocadores de tambores ou atabaques) que se apropriam do título e acabam por confundir mais os novatos.

    Você pode até ser DIRIGENTE de terreiro de Umbanda, SE TIVER ACOMPANHAMENTO ESPIRITUAL que o possibilite.

    Não vá cair na esparrela de se auto-intitular "pais de santo" só por vaidade de sê-lo porque o preço a pagar pode ser muito alto.

    ResponderExcluir
  38. Olá meu nome e Ronny e trabalho na umbanda já faz alguns anos, os sinais de mediunidade se começou na minha infância. Nos últimos meses tenho sonhos visões e intuicoes construindo uma casa de umbanda, isso e sinal que no futuro terei que ser dirigente de um lugar? Obrigado e que Deud pague a caridade.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pode ser, Ronny, mas não obrigatoriamente.

      São muitos os atributos que um verdadeiro DIRIGENTE de Umbanda deve possuir para sê-lo, incluindo aí, PRINCIPALMENTE, O CARREGO ESPIRITUAL (sua guarda de protetores e Guias) que o acompanha que também deve estar preparada para tal e isso você só vai ficar sabendo com o tempo e muita observação.

      Não se precipite, pois embora possa parecer "muito legal" ser dirigente de um VERDADEIRO terreiro de Umbanda, o trabalho é árduo e as complicações espirituais para aqueles que se apressam em "passar as carroças na frente dos bois" podem ser muitas.

      Que Nzambi o ilumine, Oxalá e Yemanjá o guiem sempre por caminhos de muita LUZ e PAZ.

      Excluir
  39. Meu nome é ana.meu marido entrou na umbanda eu sempre respeitei.mais sempre morri de medo nunca tinha pisado em um centro .só que desde quando ele começou .eu comecei a ficar sem dormi .tremia de frio escutava musicas dentro de minha cabeça.ate que incorporei uma velha no inicio não falava mais depois começou a falar. logo eu que sempre morria de medo.deixei meu medo de lado efui ao centro .la recebi varias entidades.gostaria de saber o porque so depois que meu marido foi para umbanda eu comecei a receber? Agora que o meu medo passou vou começar a trabalhar tbm me senti bem.sei que preciso.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Uma possibilidade bem viável, mas que não posso afirmar com total certeza é que, adentrando à CORRENTE ESPIRITUAL (na verdade a egrégora) de uma Casa de Umbanda, seu marido, naturalmente, passou a ser acompanhado por alguns dos AMIGOS ESPIRITUAIS DA CASA pois isso é totalmente comum.

      Em sequência, como esses NOVOS AMIGOS a conheceram através dele (porque esses amigos vão conosco até nossas casas, desde que não impedidos), provavelmente viram em você, potencial mediúnico e com isso, uma "nova estrela" que poderia vir a brilhar no terreiro desde que esse potencial mediúnico fosse ativado.

      O simples fato de alguém estar perto de um médium, sendo esse alguém também médium, já faz com que de alguma forma se ativem os centros mediúnicos. Nesse caso, a simples proximidade sua com seu companheiro, pode ter atuado dessa forma, facilitando o acesso dessas entidades aos seus centros mediúnicos.

      Nada a temer. Você já era médium antes. O que precisou foi só um empurrãozinho que seu companheiro, ainda que sem saber, facilitou.

      E olhe mais uma coisa:

      Em seu caso foi muito bom já que você buscou tratar sua mediunidade. Há casos em que o potencial mediúnico de pessoas que vivem com médiuns também é ativado e, por demandas de crenças por exemplo, ao invés de acontecer da forma que aconteceu com vocês, acontecem brigas, altercações, desentendimentos e, finalmente ... sabe-se lá o que mais.

      Excluir
  40. Olá! estou a procura de uma casa de umbanda mais na última gira que fui as entidades me falaram que eu era de nação. Mais meus orixas também são de umbanda! O que significa isso! Pois tenho Yansã e ogum. E gostaria de seguir na umbanda. Axé!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Significa que:

      1- há um grande confusão para essas pessoas que lhe disseram isso, até mesmo sobre o que é ORIXÁ DE NAÇÃO e o que é ORIXÁ NA UMBANDA;

      2- há a necessidade de você se esforçar para achar um Terreiro ou Centro em que as pessoas (médiuns) sejam menos confusas;

      3- se você gostaria de seguir a Umbanda, deve procurar um Centro ou Terreiro o menos traçado possível e começar ali, com muita fé e respeito, até que sua própria banda possa se identificar e até mesmo, quem sabe, encaminhá-la para o grupo ou egrégora que realmente fará com que você "se sinta em casa", se é que você me compreende.

      Receba um forte abraço e votos de que sua caminhada seja plena de luz e orientações positivas ao longo de toda ela.

      Claudio

      Excluir
  41. Olá!eu sou o junior sou filho de oya e de ogum estou a procura de uma casa pois me identifique mais umbanda e fiquei apaixonado pela religião sendo que na última casa que fui as entidades me falaram que eu era de nação eu não entendi muito bem pois os meus orixas também são de umbanda. E agora o que devo fazer? Pois eu me identifiquei muito com a umbanda e eu não me vejo no Candomblé!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A resposta eu lhe dei acima, Junior.

      Desculpe-me a demora.

      Excluir
  42. Olá alguém sabe me dizer de quem é esse ponto: Eu sou um moço encantado de minha patroa, meu pai é rei da turquia.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Com a palavra quem passar por aqui e ler sua pergunta, pois eu não conheço essa cantiga.

      Excluir