SEJA BEM VINDO

ESSE É UM BLOG PARA QUEM PRETENDE LER E APRENDER RACIOCINANDO, SOBRE TEMAS COMO UMBANDA, MEDIUNIDADE EM GERAL E AUTO-AJUDA. SE VOCÊ CHEGOU ATÉ AQUI, ACREDITE, NÃO FOI POR ACASO. TALVEZ AS RESPOSTAS PARA ALGUMAS DE SUAS DÚVIDAS ESTEJAM EM ALGUNS DOS TEXTOS POSTADOS.

ATENÇÃO: VOCÊ PODE COPIAR OS TEXTOS QUE CONSTAM DESTE BLOG E USÁ-LOS EM OUTROS LOCAIS, MAS NÃO DEIXE DE INDICAR A FONTE, POR FAVOR!

Acompanhantes do Blog

segunda-feira, 5 de maio de 2008

ENTREVISTA COM DONA LYGIA CUNHA

UMA ENTREVISTA COM DONA LYGIA CUNHA, NETA DE ZÉLIO DE MORAES E RESPONSÁVEL PELA CONDUÇÃO DAS SESSÕES NA TENDA ESPÍRITA NOSSA SENHORA DA PIEDADE




No final do ano de 2007, descobri, por pura sorte, o perfil de um rapaz chamado Marcelo, que vinha a ser filho de Dona Lygia, neto de Dona Zilméia e bisneto de nosso já conhecido Zélio Fernandino de Moraes, a quem coube, ainda que alguns rejeitem, a CRIAÇÃO DE UMA NOVA RELIGIÃO, através da entidade que se apresentou como CABOCLO DAS SETE ENCRUZILHADAS, nos idos de 1908, como já é do conhecimento de todos os que já passaram por este Blog ou leram esta parte da história da UMBANDA em outros lugares.


De início confesso que fiquei meio tímido para contatá-lo, tanto que levei alguns dias pensando se deveria ou não, como seria recebido, se teria alguma resposta, embora achasse que deveria fazê-lo pois, "viajando" por Comunidades como Orkut, MSN e outras, pude perceber que ainda são muitas as dúvidas que existem, não só sobre a figura de Zélio, do Caboclo e principalmente do CULTO RELIGIOSO que este batizou de UMBANDA. Além disto ainda havia encontrado, nessas viagens, as informações mais disparatadas sobre certos rituais que alguns afirmavam, até com "certa certeza"(?), que existiam nas práticas das Tendas fundadas por Zélio e o Caboclo Das Sete Encruzilhadas, a quem passarei a chamar de "CHEFE", como carinhosamente até hoje ele é tratado pela família e por aqueles que com eles se alinham.


Pois bem. Tomei coragem e entrei em contato com o Marcelo que me respondeu até além de minha expectativa, fornecendo-me endereços e telefones que, é óbvio, não serão aqui divulgados, de forma que eu pudesse me contatar com sua mãe, Dona Lygia Cunha, o que fiz. E quando o fiz pela primeira vez, por telefone, ela deve se lembrar que cheguei a me espantar por ficar sabendo que a família residira por muitos anos em um prédio bem defronte ao que eu moro (local em que ela estava neste momento e se preparava para a última gira do ano que ocorreria dois dias após) e, por coisas que a vida não explica, eu nunca soubera.


Conversamos por um bom tempo, minha proposta de preparar este questionário que se segue foi muito bem aceito e cheguei a combinar de estar presente nessa próxima sessão - o que infelizmente, por motivos particulares, não me foi possível - ficando eu de enviar-lhe as perguntas por e-mail para que sobre elas refletisse e escolhesse sobre o que gostaria de escrever, acrescentar, modificar ou não, e tivesse tempo suficiente para até mesmo, em caso de necessidade, buscar subsídios junto a sua mãe, Dona Zilméia, sobre assuntos de que talvez não tivesse conhecimento - coisas que teriam acontecido quando ainda muito jovem e não tinha assumido seu cargo atual dentro da Tenda.


Com todas as suas ocupações de mãe, avó, dona de casa, da Tenda, etc., etc., Dona Lygia, pacientemente, nos forneceu respostas às principais perguntas que, de acordo com minhas "viagens" antes citadas, me pareciam necessárias para melhores informações, já que como vemos, muitos têm os acontecimentos de 15 e 16 de novembro de 1908 como marco inicial da Umbanda, mas mesmo entre esses, uma grande parte não sabe como foi ou é a Umbanda preconizada pelo CHEFE.

As perguntas e respostas que se seguem foram as que de mais importância via eu no momento, e as estou colocando da mesma maneira que foram e vieram, ou seja, SEM INTERPRETAÇÕES PESSOAIS MINHAS.


Peço a todos que tiverem acesso a este Blog que leiam, pensem, repensem, comparem com o que têm lido por aí, compreendam e divulguem o valor histórico deste testemunho, bem assim como sua seriedade e agradeço verdadeiramente à Dona Lygia, seu filho Marcelo e sua esposa Simone, Dona Zilméia e toda a família por tão bem terem recebido esta proposta.


QUESTIONÁRIO




PERGUNTA: Há pouco tempo em uma revista de Umbanda saiu uma reportagem na qual D. Zilméia teria dito que matavam um porco para Ogum uma vez por ano e que isso era feito desde os tempos do senhor Zélio. Por tudo que já conhecia da Umbanda do Caboclo das Sete Encruzilahdas, sempre soube que sacrifícios animais eram proibidos pelo Caboclo . Como se explica então essa "imolação de um porco para Ogum" , se nem seria este o animal adequado, de acordo com os rituais afro?


OBS: Esse comentário deu origem a diversos debates em que os africanistas afirmavam que o Caboclo das Sete Encruzilhadas também fazia sacrifícios.


RESPOSTA: O ritual para elaboração da comida de Ogum foi trazido por Orixá Malet (uma das entidades que atuavam junto ao Caboclo das Sete Encruzilhadas, também através de meu avô) que seria obrigatoriamente um sarapatel.
O sarapatel era feito com os miúdos de um porco castrado, por isso usava-se o animal c/ esta característica. Ele era morto por uma pessoa de fora do terreiro, fora da TENSP, habilitado e contratado p/tal. A carne era usada como alimento para qualquer refeição.
Isto seria sacrifício?
Hoje não mais existe esta contratação e a comida é feita, como para todos os orixás, compra-se os ingredientes nos mercados.
E quanto a sua dúvida, não ser o porco adequado nos rituais afro, nada sei, nós estamos falando da Umbanda do Caboclo.


NÃO FAZEMOS SACRIFÍCIOS, qualquer dúvida é só visitar-nos.


PERGUNTA: Sobre Exus: Como eram e são agora compreendidos os Exus na visão da Umbanda do Caboclo das Sete Encruzilhadas? Já trabalham com eles? O que os fez mudar, se assim procedem?
Pergunto isso porque há um texto na Internet em que o próprio Zélio explicava como o CHEFE e ele viam os Exus e o porquê de não trabalharem com eles.


RESPOSTA: Os Exus eram e são compreendidos da mesma forma, desde a fundação da TENSP, não houve qualquer mudança. Não há sessões de Exus. Continuam sendo, como dizia o Caboclo, os soldados, os trabalhadores do nosso Terreiro, são chamados somente quando necessário, normalmente nas descargas ou em outros trabalhos de defesa contra a magia.


PERGUNTA: Iniciei em um Centro Espírita que, embora kardecista em sua raiz, tinha sessões de umbanda mesa branca e que dizia seguirem a Umbanda preconizada pelo Caboclo das Sete Encruzilhadas. Nesse Centro não havia velas, atabaques, fumo ou Congá. Era assim na TENSP? O que mudou desde então para vocês que estão mais próximos da Umbanda do Caboclo das Sete Encruzilhadas?

RESPOSTA: A TENSP sempre trabalhou com velas, pemba, ponteiros, fumo, defumadores, temos gongá, que nada mais é que um altar c/ imagens de santos, nunca usamos atabaques. Trabalha-se também com pontos firmados que são usados nas sessões e os pontos cantados, sem qualquer acompanhamento instrumental, só voz. Para o nosso entender nada mudou na TENSP. Se houve mudanças em Tendas criadas por meu avô, isto não é de nossa alçada. Nós continuamos fiéis aos ensinamentos e preceitos do Chefe (como também chamamos o Caboclo das Sete Encruzilhadas) e esta será sempre a nossa luta.




PERGUNTA: Como é feita a iniciação de médiuns na Tenda? Quando eles são considerados prontos?

RESPOSTA: Existem na TENSP as chamadas Sessões de Desenvolvimento sob a responsabilidade de um Babá da casa, ajudado por outros médiuns antigos. As sessões dividem-se em duas partes, uma teórica e outra prática, na qual a incorporação dos médiuns em desenvolvimento é trabalhada. Após algum tempo participando desses trabalhos são considerados semi-prontos pela indicação do Guia Chefe. Após esta indicação, deverão ser burilados nas Sessões de Caridade, muitas vezes trabalhando como médiuns de atração, até receberem ordem p/ trabalharem na casa, dando passes.

Não há tempo marcado e cada um tem o seu tempo p/desempenhar tal tarefa.






PERGUNTA: Tendo a Umbanda do Caboclo das Sete Encruzilhadas tomado como ponto de partida os ensinamentos kardecistas, eu perguntaria em que momento as oferendas e/ou obrigações com comidas ou de outro qualquer tipo começaram a fazer parte dos rituais?

RESPOSTA: Apesar da primeira manifestação pública do Caboclo da Sete Encruzilhadas ter se dado na Sede da Federação Espírita de Niterói, as práticas da Umbanda não partiram de ensinamentos kardecistas, até porque os kardecistas de então, rejeitavam as manifestações de pretos velhos e caboclos por considerarem "espíritos pouco evoluídos". Aliás, o próprio Caboclo foi convidado a deixar o recinto na ocasião de sua incorporação. Não quero dizer com isto que rejeitemos os ensinamentos de Kardec. Os usamos para entender as questões relacionadas aos processos de evolução espiritual, reencarnação, etc. ... e temos profundo respeito pelas práticas dos kardecistas.
Nossas práticas partiram dos ensinamentos que foram trazidos pelo próprio Chefe, por Pai Antonio e posteriormente por Orixá Malet (entidades recebidas por meu avô).

E quanto a sua pergunta sobre oferendas, etc. ..., foi a partir da chegada do Orixá Malet (segundo informações da minha mãe ).

PERGUNTA: Orixá Malê - Vocês devem ter tido bastante contato com essa entidade. Poderiam me responder se era uma entidade ligada ao africanismo? Seria ele um desses que se acostumou a chamar de "capangueiro de orixá"? Ou apenas uma entidade da linha de Ogum Malê? Ele era um espírito (que tivesse vivido antes na terra) ou um elemental/orixá como compreendem os ritos de candomblé?

RESPOSTA: Eu infelizmente não tive muito contato com Orixá Malet, pois era muito jovem e não freqüentava assiduamente as suas sessões, os seus trabalhos.
Orixá Malet não era ligado ao africanismo, nem "capangueiro de orixá", como você questiona. Ele era malaio e se apresentou com este nome, foi o guia que veio p/ resolver "as demandas" do Centro e da própria Umbanda em seu nascedouro. Falava pouco e sua comunicação se dava predominantemente por gestos, era bastante rápido e exigente nas suas ações e nos trabalhos que realizava. Como se apresentava como malaio e pelas descrições de sua aparência, acredito que tenha tido uma existência terrena como o Chefe e Pai Antônio.

PERGUNTA: O que vocês teriam a dizer dessas falanges que estão aparecendo na Umbanda como: Ciganos, Malandros, Boiadeiros, Lixeiros, Mendigos, Caipiras ...?

RESPOSTA: Sobre as falanges que você pergunta:
Ciganos, malandros e boiadeiros------- temos conhecimento.
Lixeiros, mendigos e caipiras----------- nunca ouvi falar, nada sei sobre elas.

Na TENSP não trabalhamos com nenhuma delas, embora eventualmente alguma entidade possa se manifestar c/ trejeitos típicos de malandros e também com movimentos de um boiadeiro.

PERGUNTA: Qual a opinião de vocês quanto ao uso de paramentos, vestimentas que caracterizam certas entidades (boiadeiros, exus, caboclos), como cocares, chapéus de couro, chicotes, laços e outros dentro dos rituais de Umbanda?

RESPOSTA: Esta Umbanda com paramentos não conheço, não usamos e particularmente não vejo necessidade de roupas, adereços ou qualquer tipo de fantasias.


PERGUNTA: Qual a opinião atual de vocês sobre as vestimentas que devem usar os médiuns para trabalhos dentro da Umbanda? O que mudou desde o CDSE para cá?

RESPOSTA: A nossa Umbanda continuará a usar um uniforme simples, como é desde a sua fundação. Para as mulheres um vestido branco c/ comprimento normal complementado com um calção por baixo até o joelho e, os homens calça comprida branca e camisa branca. Por praticidade esta camisa vem sendo substituída por um jaleco branco simples.

Trabalhamos descalço. Os médiuns usam uma fita vermelha na cintura e os cambonos uma fita verde.







PERGUNTA: O Ponto riscado do Caboclo das Sete Encruzilhadas é uma encruzilhada encimado por um coração transpassado por uma flecha?
Mais algum detalhe?


RESPOSTA: O ponto riscado do Caboclo é um coração transpassado por uma flecha somente.

PERGUNTA: Qual a opinião de vocês sobre essa volta do CDSE anunciada pela médium Adriana Berlinsky que escreveu recentemente dois livros aos quais ainda não tive acesso, que teriam sido psicografados pelo CHEFE?

RESPOSTA: O Caboclo continua tendo o seu Centro, a TENSP, com excelentes médiuns incluindo a filha carnal de Zélio de Moraes, sem qualquer mudança nas suas diretrizes e práticas desde a sua criação. Assim sendo me causa certo estranhamento que ele possa ter escolhido um médium sem nenhum contato com esta casa para se manifestar. Além disso, segundo informações recebidas através de outras entidades que com ele trabalhavam na TENSP, o Chefe, após cumprir sua missão junto a Zélio de Moraes, já estaria em esferas ainda mais elevadas do astral superior, não mais realizando trabalhos em nosso plano.

PERGUNTA: Após o falecimento de Zélio, já tiveram alguma notícia dele, do Caboclo das Sete Encruzilhadas ou de Pai Antônio, ou de qualquer outra entidade que com ele trabalhasse?


RESPOSTA: Sim, o meu avô já esteve conosco, a sua última mensagem foi em novembro de 2007 na abertura da Sessão do Amaci.
O Caboclo aparece para nós, em momentos muito especiais em nosso Terreiro e os médiuns videntes percebem sua presença manifestada na forma de um clarão de luz azul. Os seus recados são trazidos através de caboclos e/ou pretos em algumas ocasiões.
Pai Antônio já incorporou algumas vezes com minha mãe, também em nossas sessões, trazendo muita alegria e uma imensa saudade.


PERGUNTA: Há pouco tempo tive a oportunidade de ler em uma certa Comunidade do Orkut que talvez lhes interessasse (aos membros dessa comunidade) comprar a casa onde morou o Sr. Zélio, em Neves, para que ali fosse criado uma espécie de marco do início da Umbanda, mas que alguém que teria ido ao local teria se deparado com uma pessoa que, embora da família, seria evangélica e nada interessada em Umbanda ou qualquer coisa parecida. Vocês têm conhecimento desses fatos (da possível compra e da pessoa que lá reside)?


RESPOSTA: Freqüenta hoje o terreiro da TENSP uma das pessoas da comitiva que esteve em visita a casa. Existia sim esta idéia, mas não sei como surgiu. A pessoa que os recebeu é católica (sic) e não evangélica e é bisneta da tia Zilka (única irmã de meu avô). São os atuais moradores da casa, seus pais e irmãos.
O meu avô nunca foi favorável a qualquer culto a sua personalidade ou a valorização de algo material ligado a Umbanda, como um imóvel, por mais importante que seja para a nossa história.
Assim sendo nos arrepia a idéia de um "Museu da Umbanda" ou coisa parecida, com fotos, objetos de meu avô ou algo similar. Uma "casa de Umbanda" só tem sentido para nós se for para a prática da caridade e para isto, como diria o Chefe, basta a copa de uma árvore.


PERGUNTA: A que fatos ou interpretações vocês atribuem essa diferenciação tão grande de Umbandas hoje existentes e a essas afirmações de que: "Já existia Umbanda antes do Caboclo das Sete Encruzilhadas e que ele não teria criado a Umbanda e sim anunciado ou mesmo, como afirmam outros, socializado?".


RESPOSTA: Em relação às diferenças acredito no lema "cada cabeça uma sentença". A Umbanda não é dogmática porque o Chefe assim o quis. Não foi criada uma doutrina, talvez para permitir que aquele que seja dotado de mediunidade e afeito aos seus ideais possa se tornar um trabalhador de suas causas. A coisa mais importante é que paute suas práticas na humildade, no amor e na caridade.
Nós na TENSP procuramos manter as práticas como nos foram ensinadas pelas entidades recebidas por meu avô. Para cada uma delas existe uma razão, uma justificativa nem sempre muito clara.
Procuramos ser um esteio do que foi preconizado por estas entidades, entretanto sem termos a pretensão de sermos melhores que quaisquer outros.
Quanto a existência da Umbanda antes do Caboclo, só podemos falar por aquilo que está na nossa história e o que nos foi ensinado: A Umbanda é uma religião brasileira que incorpora elementos de todos os povos constituintes de nossa nação, especialmente do índio, do negro e do branco europeu, nascida por ordem do astral superior, através do Caboclo das Sete Encruzilhadas voltada principalmente para a prática da caridade. Seu nascimento se deu em São Gonçalo – RJ em 15 de novembro de 1908 no bairro de Neves.





PERGUNTA: Que tipo de mensagem vocês gostariam de deixar para os Umbandistas de todas as vertentes atuais?


RESPOSTA: Importante é que tenham pureza em seus corações. A fé é a maior alavanca. A Umbanda para nós sempre será baseada na simplicidade, no amor, na caridade e principalmente na humildade. Nunca se afastem desses ensinamentos.



Façam sempre suas orações pedindo orientação aos mestres espirituais.



Salve Oxalá e que Ele os abençoe.
Lygia Cunha





******************************************************
OBSERVAÇÕES IMPORTANTES:



1- Todo este texto, após montado, foi remetido para Dona Lygia para que tivesse sua aprovação e recebesse qualquer emenda que bem achasse necessária.


2- As fotos que acompanham a matéria (algumas das muitas que foram enviadas à família) foram feitas em 26/04/2008, durante a Sessão em homenagem a Ogum e com permissão de Dona Lygia por quem fui muito bem recebido.

3- Que se observem, através das fotos, o tipo de indumentária utilizada pelos médiuns, bem como a ausência de atabaques no recinto do terreiro, o que desmente peremptoriamente muitos dos comentários expostos em mídias.

4- Como fiquei sabendo lá mesmo, em breve a Tenda Espírita Nossa Senhora da Piedade terá seu Site na Internet e, assim que ficarmos sabendo o endereço, ele será aqui exibido.

Que OXALÁ NOS ABENÇOE E ILUMINE A TODOS, são também meus sinceros votos !
AINDA SOBRE A TENDA ESPÍRITA NOSSA SENHORA DA PIEDADE, O CABOCLO DAS SETE ENCRUZILHADAS E UMBANDA SIGAM LINKS ABAIXO:
E UM BOM TEMA PARA PESQUISAS
BOA LEITURA A TODOS!!

19 comentários:

  1. Caro Cláudio,

    Meus cumprimentos efusivos pelo novo post publicado em seu excelente blog. Reputo de fundamental importância para a nossa umbanda a publicação da entrevista com Dona Lygia e as fotos que a acompanham.

    Como já tive a oportunidade de dizer-lhe em outra oportunidade, seus comentários no blog, assim como seus dois livros (quando serão publicados em forma impressa?), têm servido de constante fonte de aprendizado e reflexão para mim e para os irmãos da pequena tenda que minha esposa e eu dirigimos.

    Um abraço fraterno,

    Aluísio

    ResponderExcluir
  2. SALVE, Mano Aluísio.

    Agradeço muito seus elogios ao post e ao Blog, particularmente, mas temos que agradecer mesmo é a Dona Lygia, Dona Zilméia, ao Marcelo e Simone, sua esposa, e a todos os que colaboraram para que esta matéria ESCLARECEDORA pudesse ser publicada.

    Há muito tempo já se faziam necessários estes depoimentos de quem entende e VIVE A UMBANDA DE ZÉLIO DE MORAES, diretamente e não por interpretações de terceiros.

    Você e quem mais por aqui passar, poderá ter certeza de que as respostas são deles, sem que se tire ou troque uma só letra, de forma que não há espaço para "duplas interpretações".

    Aí estão respostas claras, cristalinas (para quem saiba ler)a respeito de temas que quase sempre são levantados e confundidos pelos "disse-me-disses" tão corriqueiros, infelizmente, nos meios umbandistas e mesmo espiritualístas, de forma que, quem ainda quiser especular à respeito, que o faça sob sua própria ótica e dizendo-o como tal e quem precisar de subsídios para melhores compreensões... aí estão!

    Quanto aos livros, maninho, sinceramente não estou pensando em publicá-los no papel não. Isto envolveria gastos que teriam que ser repassados aos "compradores".

    Para evitar isto, eles estão diagramados de uma forma que poderão ser impressos via impressora caseira (alguns já me escreveram que assim fizeram) em papel A5 (14,8cm X 21 cm) e distribuídos por quem assim fizer com os mínimos gastos e sem qualquer ganho pessoal para mim, já que o objetivo deles não é o de auferir ganhos.


    Esperando continuar sempre com sua atenção e amizade, desejo-lhe e a todos os seus, os mais sinceros votos de PAZ - HARMONIA - AMOR - VITÓRIAS MATERIAIS E ESPIRITUAIS.

    ResponderExcluir
  3. Prezado Cláudio.
    Acabei de conhecer o seu blog e gostaria de lhe parabenizar pelo belo trabalho.
    Esta reportagem com a Dona Lygia está excelente... novamente meus sinceros parabéns.
    Compartilho das idéias aqui apresentadas e da maneira como você pensa.

    Gostaria, em tempo, de informar sobre meu site de Umbanda no seguinte endereço http://www.umbanda.890m.com

    Também peço sua autorização para publicar em meu site algumas matérias aqui postadas.

    Muito obrigado pela atenção.

    Fabio Fittipaldi

    ResponderExcluir
  4. Salve, Fabio.

    Agradecemos seus elogios e ficamos felizes por você compartilhar conosco de pelo menos algumas idéias e das formas como aqui são expostas.

    De nossa parte você tem todo o direito de utilizar os textos que mais lhe convierem em seu ESPAÇO DE UMBANDA, o que muito nos agradaria até, já que todas as matérias que aqui se encontram tem este endereço mesmo: DIVULGAÇÃO DA UMBANDA BASEADA EM RACIOCÍNIO e, quando nos é permitido, como no caso desta entrevista com Dona Lygia, DIVULGAÇÃO PURA DO QUE NOS VEM DA(S) FONTE(S).

    Destacamos que, se houver quaisquer dúvidas quanto a qualquer texto aqui postado, você também tem todo o direito de nos contatar e receber de volta a resposta mais adequada. Para isto estaremos sempre às ordens!

    Estarei colocando um link aqui no Blog para seu site também, ok?

    Que OXALÁ E YEMANJÁ o cubram com mantos de proteção e luz!

    ResponderExcluir
  5. Bom, difícil comentar algo sobre o médium Zélio de Moraes e o Cabloco das 7 Encruzilhadas, sendo que incorporo ele, mas tentarei, acho o seguinte em 1908 quando o Cabloco vinha em terra ele tinha uma sabedoria e hoje claro ele evoluio e tem outra, isso não resta dúvidas, pq tanto nós aprendemos com entidades como elas aprendem com nós, não vou comentar sobre atabaques, mesmo porque na minha Tenda tem atabaques, e são usados na abertura e quando se ache necessário, sacrifícios jamais, pois não podemos tirar a vida do que DEUS deu, eu rumo para a caridade sempre, jamais foi cobrado um centavo de ninguém , até o material usado eu pago, e nenhum filho da casa paga nada muito menos mensalidade, pois a caridade no meu modo de entender é se dividir o que se tem, e não dar o que nos sobra... respeito muito a forma de eles trabalharem na Tenda deles, mas acho que é nossa vez agora, claro jamais podemos esquecer o que fizeram pela nossa querida Umbanda, mas agora é nossa vez de deixar-mos nossa marca na história, eu sigo a linha da caridade, a linha de jamais sacrificios, mas acho que os atabaques é o gongal falante e tem que ter eles sim, acho que as roupas pouco importa, quem quiser usar que as use, apenas não saia da linha da caridade... temos sim é que desmarginalizar a Umbanda, com falsos Umbandistas que a usam para cobrar e sobreviver dela... gente a Umbanda é uma Religião e não um Comércio particular de cada dirigente,pensem nisso e pensem mesmo ... pq lá encima terão que se acertar, podem acreditar nisso, um grande abraço a todos PAI VICENTE - (A.T. de Jesus) - Tiko...

    ResponderExcluir
  6. Adorei a entrevista, muito boa. Muitas das perguntas eram questionamentos que eu mesma tinha e foram elucidados aqui!!!!!
    Grata,
    Menin@

    ResponderExcluir
  7. Salve, maninho Pai Vicente.

    A TENSP não se utiliza de atabaques e meu realce não foi no sentido de desmerecer quem o faça, até porque já utilizei muito este instrumento de orígem Árabe (at-tabaque) e não africano como muitos pensam. O realce foi feito porque, a exemplo de um suposto "Sacrifício de Porco pra Ogum" (o que por si só já seria uma total falta de conhecimento sobre Sacrifícios Rituais em qualquer rito pseudo-africanista)também havia um outro que afirmava, SEM BASE ALGUMA DE CONHECIMENTOS que a Umbanda de Zélio usava esses instrumentos.

    Volto a dizer que não é crítica a quem os usa e sim uma constatação de fatos para que não se continue afirmando o que não se pode afirmar. O que se espera com estas respostas, não é que as pessoas modifiquem "suas Umbandas" em função da Umbanda que foi indicada por Zélio e o Caboclo das Sete Encruzilhadas, mas que NÃO CONTINUEM AFIRMANDO "VERDADES" SEM BASE ALGUMA, ainda que seja do conhecimento da família, que Tendas por eles fundadas, hoje já façam uso dos atabaques, como se comenta(SACRIFÍCIOS EU NÃO SEI)

    Por isto, certamente, Dona Lygia nos diz:"Se houve mudanças em Tendas criadas por meu avô, isto não é de nossa alçada. Nós continuamos fiéis aos ensinamentos e preceitos do Chefe (como também chamamos o Caboclo das Sete Encruzilhadas) e esta será sempre a nossa luta".

    A Umbanda foi criada por ESPÍRITOS QUE VIRIAM TRABALHAR PARA A CARIDADE e foi isto que o caboclo nos ensinou e é isto o que é importante gravarmos bem fundo em nossas mentes e almas. Por isto mesmo realço agora mais um trechinho desta entrevista:

    "A Umbanda não é dogmática porque o Chefe assim o quis. Não foi criada uma doutrina, talvez para permitir que aquele que seja dotado de mediunidade e afeito aos seus ideais possa se tornar um trabalhador de suas causas. A coisa mais importante é que paute suas práticas na humildade, no amor e na caridade".

    Receba, de minha parte, um abraço fraterno e um alto e ressonante SARAVÁ!

    C.Zeus

    ResponderExcluir
  8. Menina.

    Gratos somos nós por termos podido ajudá-la a elucidar algumas questões. Que assim possa ser sempre, não só em relação a você como a todos os que por aqui passarem.

    Nosso Saravá Fraterno pra você!

    ResponderExcluir
  9. Esta entrevista é uma pérola!
    Acabo de criar um blog ( http://bandeiradeoxala.blogspot.com)no qual pretendo focar assuntos e reflexões minhas sobre a Umbanda e gostaria de ter sua permissao para postar lá esta matéria!
    Se possível até incluir o seu blog na minha listagem de blogs favoritos. Aguardo sua resposta!

    Parabéns pelo trabalho!!!!

    ResponderExcluir
  10. Meu SINCERO SARAVÁ pra você, irmão umbandista.
    Não só esta, mas qualquer matéria que esteja em nosso blog está aberta à divulgação por quaisquer de nossos amigos virtuais e irmãos na fé. Fique à vontade e, se porventura houver necessidade de melhores explicações sobre as matérias aqui expostas, você pode me contatar através de um comentário aqui mesmo ou sua participação em um dos "GRUPOS DE DEBATE QUE INDICO", clicando sobre o link com este mesmo título e se increvendo. Para nós será uma honra tê-lo como participante em qualquer um dos dois.

    Paz e Harmonia em sua vida, por Oxalá!

    ResponderExcluir
  11. E fique à vontade também se lhe interessar linkar "Umbanda Sem Medo" ao seu BLOG. Se quiser, faço o mesmo emrelação ao "Bandeira de Oxalá" aqui.

    ResponderExcluir
  12. Pai Vicente de Xangô30 de setembro de 2008 04:27

    TENDA DE UMBANDA PAI JOSÈ - A Luz da Caridade.
    O que é a Umbanda para o Tiko.

    Sou a fuga para alguns, a coragem para outros.
    Sou o tambor que ecoa nos terreiros, trazendo o som das selvas e das senzalas.
    Sou o cântico que chama ao convívio seres de outros planos.
    Sou a senzala do Preto Velho, a ocara do Bugre, a cerimônia do Pajé, a encruzilhada do Exu, o jardim da Ibejada, o nirvana do Hindu e o céu dos Orixás.
    Sou o café amargo e o cachimbo do Preto Velho, o charuto do Caboclo e do Exu; o cigarro da Pombo-Gira e o doce do Ibeje.
    Sou gargalhada da Padilha, o requebro da Cigana, a seriedade do Veludo.
    Sou o sorriso e a meiguice de Maria Conga, Cambinda e Maria do Congo a traquinada do Zequinha e a sabedoria do Sete Flechas.
    Sou o fluído que se desprende das mãos do médium levando a saúde e a paz.
    Sou o isolamento dos orientais onde o mantra se mistura ao perfume suave do incenso. Sou o Templo dos sinceros e o teatro dos atores.
    Sou livre. Não tenho Papas. Sou determinada e forte.
    Minhas forças? Elas estão no homem que sofre e que clama por piedade, por amor, por caridade.
    Minhas forças estão nas entidades espirituais que me utilizam para seu crescimento.
    Estão nos elementos. Na água, na terra, no fogo e no ar; na pemba, na tuia, na mandala do ponto riscado.
    Estão finalmente na tua crença, na tua Fé, que é o elemento mais importante na
    minha alquimia.
    Minhas forças estão em ti, no teu interior, lá no fundo na última partícula da tua mente, onde te ligas ao Criador.
    Quem sou? Sou a humildade, mas cresço quando combatida.
    Sou a prece, a magia, o ensinamento milenar, sou cultura.
    Sou o mistério, o segredo, sou o amor e a esperança. Sou a cura. Sou de ti.
    Sou de Deus. Sou Umbanda.
    Só isso. Sou Umbanda.

    ResponderExcluir
  13. Gostaria de saber a agenda 2009 da Cabana Pai Antonio - TENSP.

    ResponderExcluir
  14. Gostaria de saber se ha em niteroi uma tenda que propague a Umbanda de acordo com os ensinamentos deixados por Zelio Fernandino de Moraes, atraves do Caboclo Das Sete Encruzilhadas(na integra, sem atabaques, palmas e outros.)

    ResponderExcluir
  15. CALENDÁRIO DA TENSP DE JUNHO EM DIANTE

    JUNHO 20 19:45 Caridade e Sessão festiva de Pai Antônio e Tiana

    21 09:00 Reunião Geral


    JULHO 25 19:45 Caridade e Sessão Festiva de Nanã

    26 09:00 Reuniào de Babás


    AGOSTO 22 19:45 Caridade e Sessão Festiva de Oxum

    23 09:00 Descarga


    SETEMBRO 26 19:45 Caridade e Sessão Festiva de Cosme e Damião

    27 09:00 Sessão festiva de Xangô c/entrega do Alapatá


    OUTUBRO 23 21:30 Descarga Geral p/o Amaci

    24 19:45 Sessão das Fitas e Caridade

    25 09:00 Ritual do Amaci


    NOVEMBRO 14 10:00 Distribuição de Roupas e Cestas Básica

    14 19:45 Caridade

    15 09:00 Reunião de Diretoria

    ResponderExcluir
  16. Como vai Sr. Claudio,

    Tenho lido seus comentários, análise e criticas, bem racionais, que que se refere a nossa Umbanda.
    Li também os livros disponíveis no bloqq Umbanda sem Medo que foram muito esclarecedor, aliás responderam diversas perguntas minhas.
    Mas infelizmente aqui em São Paulo, apesar de milhares de centro que dizem ser de Umbanda, não consigo me sentir bem nenhum, não sinto energias confiáveis, as vezes um ou outra entidade consigo perceber sua presença, mas a maioria...
    Talvez eu seja muito exigente ou intolerante com certas atitudes que vejo, mas como fazer...
    Gostaria muito, se o sr. pudesse, me indicasse um centro de Umbanda que realmente preticasse aquilo a que ela foi destinada.
    Gostaria, se possível, aprender com mestres sérios e não fantasias.
    Sou responsável pela minha mediunidade, seja que teor a mesma tenha, não quero dispor dela sem a finalidade cristã.
    Pode me ajudar?
    Desculpe abusar de sua bagagem, não é que quero cortar caminho, mas apenas procuro op caminho certo, mesmo sendo o mais longe ou mais cansativo, mas que no final seja o correto.

    Muita luz

    Mary
    mary.carazza@hotmail.com

    ResponderExcluir
  17. Prezada Mary.

    Você é de São Paulo e, PESSOALMENTE, eu não conheço nenhum Terreiro ou Centro de Umbanda por aí.

    Poderia lhe indicar Terreiros de pessoas que fazem parte de nossas Comunidades, mas o faria apenas por amizade a eles e não por conhecer a Umbanda que praticam, responsabilizando-me assim, por uma indicação não pautada no que vc me pede.

    Seu objetivo me parece ser o de conhecer uma Umbanda Cristã, não africanista por conseguinte. Mas é fato que, tanto em um caso como noutro, a busca segue sempre as mesmas regras empíricas:

    "PROCURAR, EXPERIMENTAR, SENTIR, ANALISAR SOB SUA PRÓPRIA ÓTICA e, tendo observado tudo sem paixões, continuar sua busca em outros lugares ou estabelecer-se, ainda que temporariamente em algum desses lugares! É quase impossível uma indicação certeira a partir do momento em que cada pessoa é uma pessoa diferente, com gostos diferentes e, PRINCIPALMENTE, com Guardas Espirituais diferentes, o que influencia demais a escolha final.

    Meu início também foi assim, amiga. E comecei a aprender sobre a Espiritualidade aos moldes Kardecistas, sendo "puxado" depois de algum tempo, para a Umbanda, por minha própria Guarda Espiritual que era mais afim a esta.

    Mas se isto lhe ajudar, atente para os seguintes detalhes nos lugares em que for:

    1- Em UMBANDA CRISTÃ NÃO HÁ MATANÇAS DE ANIMAIS de quaisquer espécies, seja para que fim for;

    2- Em UMBANDA CRISTÃ não há Borís, jogos pagos, "feituras" ao estilo Candomblé;

    3- Em UMBANDAS SÉRIAS não há desfiles de fantasias e adereços, se é que vc me compreende;

    4- Em UMBANDA SÉRIA os Comandantes
    Espirituais, ou são Pretos Velhos ou Caboclos - nada de Exus, Zés Pelintras, Ciganos, etc.;

    5- Em UMBANDA os objetivos são: TRABALHO COM ESPÍRITOS PARA A CARIDADE e elevação espiritual, tanto dos espíritos quanto dos médiuns e seguidores através deste TRABALHO;

    6- As "Umbandas" em que as festinhas disto ou daquilo passam a ser mais importantes do que os trabalhos, estão em rota de colisão consigo mesmas porque festinhas são para deleite dos encarnados e quando as entidades passam a aceitá-las no excesso como "normais" é porque estão tão ligadas às emoções carnais quanto qualquer um de nós, o que, de antemão, já demonstra, mais ou menos, o nível evolutivo em que estão;

    7- Espíritos da UMBANDA não fazem trabalhos de AMARRAÇÃO, ENVULTAMENTO (feitiços) ou qualquer coisa que vise a prejudicar quem quer que seja. Se disserem o contrário, estão tão enganados que sequer sabem o que é UMBANDA.

    Portanto, FUJA DISTO!!!

    Acho que já dá para você aquilatar, pelo menos pelo que possa observar através da atenção, como separar o joio do trigo em um grande número de situações.

    Espero ter podido ajudá-la.

    Claudio Zeus

    ResponderExcluir
  18. Bom Dia

    Meu nome é Carlos.

    Em primeiro lugar, gostei muito dos seus livros "Umbanda sem medo I, II e III" acabei de ler o último ontem, e muitas dúvidas minhas foram esclarecidas, porém muitas outras foram formadas, uma das perguntas que eu iria fazer já foi respondida num dos comentários acima em relação a terreiros aqui em São Paulo.
    Me identifiquei com o seu modo de analisar as coisas antes de aceitá-las como nos passam e pronto.
    Gostei em especial do volume III pois trata mais diretamente dos assuntos em que mais dúvidas eu tenho.
    fui algumas vezes em um terreiro (sempre o mesmo) além de ser muito bem recebido, me senti "em casa" durante as sessões, passei por consultas, recebi passes e em algumas das conversas com Pretos Velhos (Pai Antonio e o outro eu não sei o nome) e outras vezes com Sr. Ventania ouvi a mesma coisa, "que eu deveria trabalhar este meu lado" excluindo a animação e principalmente a vaidade que isso possa trazer não sei bem o que fazer, sempre tive "problemas" com essas coisas desde a infância (o problema no meu caso é que sempre que eu vejo ou escuto alguma coisa o negócio tá feio...), mas toquemos o barco, só que ao ler a parte que trata dos médiuns de um terreiro que fazem a sua parte e outros não fiquei até preocupado pois ao invés de ajuda podemos acabar enrascados por "seguir" alguém despreparado.

    Gostei muito dos livros e do blog e espero que você continue escrevendo pois em qualquer assunto que seja precisamos sempre de pessoas com a mente aberta.

    Obrigado!

    ResponderExcluir
  19. Meu fraterno SARAVÁ, Carlos

    Realmente "ANIMAÇÃO" (no sentido de empolgação) e VAIDADE, não são emoções que se casem bem com UMBANDA, não!

    Como dizia o Caboclo Mirim: "UMBANDA É COISA SÉRIA PARA GENTE SÉRIA" e sair da seriedade da Umbanda, nela permanecendo apenas fisicamente, pode trazer conseqüências não muito agradáveis, não só para a vida Física como a Espiritual em virtude dos Filhos de Umbanda estarem sempre, por suas caridades, "dando de frente" com o Baixo-Astral e, consequentemente, neste Plano criando inimigos gratuítos entre aqueles que se sentem de alguma forma prejudicados, tanto pelas intercessões dos médiuns, quanto de seus protetores nos casos em que se achavam "os donos do pedaço".

    Infelizmente muitos dos umbandistas se esquecem deste "PEQUENO DETALHE" e, relaxando com a prática do ORAI E VIGIAI, passam a se descuidar e a abrir campo para a atuação neles próprios, daqueles Espíritos que antes afastaram de outros.

    Se você resolver algum dia dar andamento e treinamento neste dom que parece ter, tenha sempre isto em mente:

    - Espíritos não são divindades;

    - Espíritos não estão à nossa disposição, 24 horas por dia, para nos livrarem dos problemas em que nos metemos;

    - Espíritos não nos tornam os senhores poderosos que "tudo podem";

    - Espíritos estão trabalhando na Umbanda e em outros lugares, quando para o bem, para, como nós, aprenderem a se livrar dos apegos materiais e, principalmente, de seus sentimentos mais mesquinhos.

    - Espíritos podem ser e agir como nossos irmãos, desde que não nos façamos de senhores deles e, da mesma forma, entendamos o significado mais profundo da palavra IRMÃO e a eles também tratemos como tal.

    Agradeço seus elogios aos livros e, se depender de mim, vou continuar escrevendo sim, para regozijo dos que levam UM-BAN-DA a sério.

    Receba um forte e sincero abraço.

    Claudio

    ResponderExcluir