SEJA BEM VINDO

ESSE É UM BLOG PARA QUEM PRETENDE LER E APRENDER RACIOCINANDO, SOBRE TEMAS COMO UMBANDA, MEDIUNIDADE EM GERAL E AUTO-AJUDA. SE VOCÊ CHEGOU ATÉ AQUI, ACREDITE, NÃO FOI POR ACASO. TALVEZ AS RESPOSTAS PARA ALGUMAS DE SUAS DÚVIDAS ESTEJAM EM ALGUNS DOS TEXTOS POSTADOS.

ATENÇÃO: VOCÊ PODE COPIAR OS TEXTOS QUE CONSTAM DESTE BLOG E USÁ-LOS EM OUTROS LOCAIS, MAS NÃO DEIXE DE INDICAR A FONTE, POR FAVOR!

Acompanhantes do Blog

quinta-feira, 19 de julho de 2007

MEDIUNIDADE "ESPONJA" PARTE II (FINAL)

CONTINUAÇÃO.
Meus Caros e Prezados maninhos.
Antes mesmo de darmos continuidade ao assunto: Mediunidade "Esponja", gostaria de, mais uma vez, realçar a necessidade de estarmos sempre e sempre, o máximo possível, buscado nossos verdadeiros caminhos em direção à nossa Paz Interior e, consequentemente, à nossa Evolução Espiritual. Para tal, reforço a necessidade de pesquisarmos, compararmos informações, colocarmos em prática sempre que possível e conosco mesmo, possíveis ensinamentos que não venham a nos prejudicar em relação às práticas ritualísticas que escolhemos como religião, sejam elas quais forem.
É preciso que entendamos, lá dentro de nós, que MEDIUNIDADE não é coisa RELIGIOSA, não depende de RELIGIÃO e, embora possa ser orientada através delas, pode e deve ser estudada à parte por todos os que se preocupam com esse dom que, MUITO LONGE DE SER UMA PRAGA, pode ser, para os que a vêem com olhos e mentes equilibradas, um caminho para o auto-conhecimento e, consequentemente para um auto-equilíbrio, mormente quando chegamos a compreender que, através dela, temos a condição de nos conectar a outros planos de existência e chegarmos à conclusão final, lá bem dentro de nós, de que a MORTE não é MORTE.
Faço esse aparte porque, também não raramente, vejo entre nós mesmos, os que se dizem espíritas, espiritualístas etc, um terror incrível dessa tal de MORTE e também, quando não é o próprio caso, a revolta com a "MORTE" de entes queridos nossos que, às vezes, mesmo sofrendo em vida com males incuráveis por enquanto pelo menos, são mantidos "artificialmente vivos" numa ânsia de que, um dia, sei lá quando, possam reviver na própria matéria já "apodrecida", desde que isso não lhes interrompa a vida atual. Seria isso mesmo uma atitude divina? Prender na matéria doentia espíritos que poderiam estar livres para poderem reecarnar mais sadiamente?
Deixo isso para que todos pensem com muito amor a respeito e possamos debater futuramente, sem hipocrisias.
Isso bem compreendido, vamos então à nossa conclusão.
Ficamos, desde o início do assunto, com as seguintes colocações:
- "Mas o que fazer nessas situações?" - perguntariam.
- "Como me defender ou me livrar dessas sensações, já que possuo esse tipo de mediunidade?"
- "Isso acontece comigo e acabo ficando dias abalada(o) e até sem vontade de viver"...
- "Mas já que a pessoa fica melhor, isso também não é uma forma de CARIDADE? Então, se for é válida, não?"
- "Consigo menos com meus entes queridos porque tenho mais medo de errar com eles?"
Vamos partir do princípio de que você tenha a mediunidade esponja e, como já vimos, passa pelas sensações já descritas.
Sabendo de antemão, que essas sensações são fruto da canalização energética entre seu Chakra Solar e o das pessoas, e que esse SEU Chakra é ativado pelas SUAS EMOÇÕES, então o primeiro passo a ser seguido é: CONTROLE SUAS EMOÇÕES E PROCURE NUNCA SE SENSIBILIZAR COM OS PROBLEMAS ALHEIOS.
- "Ah, mas isso seria falta de caridade. Como não me sensibilizar com um problema que está me sendo levado por uma pessoa necessitada?" - diriam logo alguns.
Não se sensibilizar, não quer dizer, de forma alguma, NÃO AJUDAR, muito pelo contrário - você ajuda muito mais na medida em que NÃO PARTICIPA DAS MESMAS EMOÇÕES DAS PESSOAS, ou seja, consegue se manter isolado(a) dessas emoções e RACIONALMENTE EQUILIBRADO(A) para buscar as medidas certas a serem tomadas em cada situação.
Quando você se envolve emocionalmente com o problema ou os problemas alheios, acaba por se ver evolvido(a) nele e, pelo fato de haver trocas energéticas, nesse caso desordenadamente, descontroladamente, acaba também enfraquecido(a) pelas energias que recebe dele(s). Nesse caso, a possível "caridade", acaba por se tornar um verdadeiro inferno para quem tenta executá-la.
Cada um dos que possuem esse tipo de mediunidade, também o possuem em maior ou menor grau, exatamente como no caso das outras e, dessa forma, uns são mais afetados e outros menos. Há casos, como já foi dito, em que a sensibilidade é tanta que o médium, além de sentir o efeito das energias (dores, mal estar, etc.) que se traduzem em doenças, por exemplo, também ACABA FICANDO DOENTE, da mesma doença que a pessoa sofre - exatamente porque absorveu e não conseguiu se livrar das cargas energéticas doentias (verdadeiros miasmas).
Percebam que isso acontece muito em casos de mães e filhos. Quem já não ouviu falar ou mesmo passou pela experiência de ter um(a) filho(a) sofrendo de um mal e a mãe sentir todas as dores por ele(a)?
Eu mesmo tive nefrite e pielite (inflamação e pus nos rins) quando criança e quem sentia as dores nos rins, que eu deveria sentir, era minha mãe que já tinha mediunidade na época mas sequer pensava em tratá-la. Isso era TABU em nossa família.
Ainda pelo lado do abalo energético por que a pessoa passa pelo fato de ter recebido da outra um excesso de cargas negativas, devo explicar que esse fato acaba por induzir no médium um certo grau de INSTABILIDADE EMOCIONAL (fora o resto) com conseqüente INSEGURANÇA que, por sua vez, acaba aumentando ainda mais sua instabilidade emocional e por aí vai. Já deu pra perceber que, se isso continua, aonde vai parar esse médium, não?
Bem compreendido o primeiro passo, vamos então ao segundo:
Sabendo-se portador desse tipo de sensibilidade e querendo realmente ajudar sem ser afetado(a), antes de entrar em contato com pessoas com grandes problemas, CRIE MENTALMENTE UMA BARREIRA ENERGÉTICA ENTRE VOCÊ E ELAS.
Sua mente, mesmo que você não queira crer, pode comandar as energias que o(a) circundam de forma a auxiliá-lo(a) ou não. Perceba que, se você está sendo atuado através de seu Chakra Solar, isto só está acontecedo porque sua mente se deixa envolver pelos problemas dos outros, o que faz com que o Chakra emocional se abra e receba o que não deve. Ora, se isto acontece assim, por que não acontecer de forma diferente? Se sua mente pode abrir o Chakra, porque não pode fechá-lo?
NÃO PODE SE VOCÊ NÃO CRER NISTO!
Através da força de sua mente você pode criar uma espécie de parede energética que será tão forte quanto sua vontade e crença de que a está construindo (É PRATICAR PARA VER SE É VERDADE OU NÃO!) e, com isso, manter-se isolado(a) para que possa raciocinar equilibradamente com o fim de, aí sim, AJUDAR SEM SER AFETADO(A).
Ajudar sendo afetado(a) é o mesmo que DESPIR UM SANTO PARA VESTIR O OUTRO. Você não precisa ficar mal para que outros fiquem bem! Entenda isso, pelo amor de Deus. Isso não é caridade, é ingenuidade!
Ah, mas então eu também posso fazer minha firmeza antes e pedir proteção dos meus Guias, certo?
Pode sim! Claro que pode. Mas será que você vai poder sempre ter esse tempinho para fazer sua firmeza, acender suas velas, arrumar o Gongá, etc.? Será que uma situação como esta não poderá acontecer na rua, numa casa que você esteja vistando em que morem até mesmo pessoas que não comunguem com sua crença? Pois é! Pode sim, certo? E aí?
Vou deixar bem claro, e espero que você entenda, senão hoje, mas pelo menos algum dia que, Protetores e Guias NÃO SÃO CABIDES nos quais devamos nos pendurar eternamente sempre que algum perigo nos rondar. O Pai ou Mãe maior (depende de sua crença) nos presenteou com nossos próprios meios de subsistência nesse campo. O que precisamos é aprender a usar nosso potencial, nossa FÉ e, para isso, temos que:
1) Perder os medos;
2) Acreditar em nós mesmos, em nossos potenciais (não confunda com prepotência);
3) Ativar a Força que temos em nossa mente;
4) Usar essa coisa que todos acham muito bonito falar (a Fé) e quase ninguém a põe em prática e, com isso;
5) Colaborar positiva e eficazmente com esses nossos Protetores e Guias, guardando-os apenas para situações incontestáveis.
Mas digamos que mesmo criando sua barreira você ainda foi afetado(a) pelos problemas do(a) necessitado(a). O que fazer então?
Primeiro passo: Trabalhe em sua mente, atuando em sua Aura, para que ela se liberte dessas energias. Isto pode ser feito através de mentalizações durante as quais você deverá concentrar seu pensamento de forma a criar uma imagem mental (uma forma-pensamento, lembra-se?) na qual essa energia que o(a) incomoda começa a se deslocar pelas mãos e pés, por exemplo, abandonando seu corpo. Você pode, se achar melhor, fazer isso até debaixo do chuveiro imaginando que essa energia se esvai ralo abaixo (e isso funciona, pode ter certeza!). Pode mesmo fazer uso da ajuda de banhos específicos de acordo com a ritualística que você segue, desde que sua mente esteja firmemente direcionada para os objetivos a serem alcançados - se livrar da(s) energia(s) que o(a) incomoda.
Na medida em que você conseguir um controle maior sobre sua mente, muitas vezes nem vai precisar de rituais específicos de liberação, mas enquanto isso não é possível, vá por exemplo à beira do mar e entregue a Yemanjá essas energias que o(a) estão acompanhando. Ou pare numa encruzilhada, peça licença e chame seu Exu Guardião pedindo-lhe que o(a) ajude a se livrar daquele "carrego". Mas o mais importante em qualquer um desses casos, é que SUA MENTE, a mesma que abre ou fecha seus canais de comunicação com essas energias, ESTEJA DISPOSTA A LIBERÁ-LAS. Dá para entender?
Uma outra coisa bem importante é que: DESCARREGUE-SE O QUANTO ANTES - quanto mais tempo essas energias permanecerem em sua Aura, mais se agregarão a ela e, ato contínuo, acabarão por trazer sérios incovenientes para você além, é claro, do fato de que, QUANTO MAIS AGREGADAS, MAIS DIFÍCEIS DE SEREM RETIRADAS.
Se você começar a pensar assim, indiferentemente do fato de ser Umbandista, Candomblecista, Kardecista, etc, verá sérias modificações, para melhor, em sua vida mediúnica, desde que creia e fortaleça cada vez mais sua mente nesse sentido.
Esse problema do ENVOLVIMENTO EMOCIONAL é de tanta importância que em Candomblés e Umbandomblés existe, a rigor, a proibição de, por exemplo, o marido tratar ou mesmo mexer nos apetrechos ritualísticos de sua esposa, bem assim como de seus filhos etc. Meter a mão na cabeça, nem em sonhos!
Mas se você leu com atenção sobre o que um envolvimento emocional pode causar no médium, poderá muito bem entender o PORQUÊ DESSA PROIBIÇÃO, embora muitos que a propalam, só o façam por questões de TRADICIONALISMO, sem nem bem entender os motivos reais.
Uma outra coisa que vou aproveitar PARA QUE PESQUISEM EM SUAS EXPERIÊNCIIAS PESSOAIS é o seguinte:
Os médiuns que estão mais propensos a esse tipo de mediunidade "esponja" são os que têm Omulu ou Obaluaiê até o terceiro santo e Oxum até o quarto. Também os filhos de Ogum (com menor propensão) se a coroa é de Ogum Megê (ou Mêge, como preferem alguns).
Nas Umbandomblés, Iansã do Bale preferencialmente como primeiro ou segundo santo e também os filhos de Oxalá Alufan ou Oxalufan costumam ter esse tipo de mediunidade mais aflorada.
Você acha que me arrisquei dizendo isso? Pesquise então! Observe pessoas com essas configurações de coroa e pergunte-lhes se isso acontece com eles ou não. Se não mentirem ...
Você verá, com o tempo, padrões energéticos bastante semelhantes entre todos.
Vou mais a fundo ainda. Um médium que tenha na coroa Oxum e Omolu (ou Obaluaiê) como primeiros santos, sendo qualquer um dos dois o primeiro, se não tiver um Ogum ou Oxossi no terceiro, com certeza tenderá a ser "esponja", ou seja, terá mais aflorado esse tipo de sensibilidade.
É muito importante, no entanto, que você entenda que a presença desse tipo de sensibilidade muito aflorada nesses médiuns NÃO É OBRIGATÓRIA. Costuma acontecer MAIS com eles por razões que não cabem aqui, no momento, discutirmos.
Espero ter podido colaborar um pouco mais e positivamete com o conhecimento de todos. Quaisquer dúvidas sobre o texto ou mesmo novas que tenham decorrido dele, estou pronto a esclarecer.
Recebam todos um Sincero e Fraterno Abraço e votos de que OXALÁ nos guie sempre pelos caminhos da verdadeira LUZ.

19 comentários:

  1. E quando a gente banca a "esponja" sem querer?

    Dando um exemplo meu. Após a festa de aniversário de meu filho, minha vesícula biliar (que já tinha pedras a quatro anos e nunca tinha reclamado) "estourou". Acabei tendo que operar.

    Dois dias depois, meu filho e minha nora escaparam, por um triz, de um acidente de carro: uma pick-up abalroou o carro deles em um cruzamento. Se pegasse pouquinha coisa mais à frente, eles dificilmente sobreviveriam (o carro, "morreu"...)

    Eu, imediatamente associei uma coisa com a outra. E - se foi para salvar meu filho - ainda bem!...

    (a operação correu muito bem e eu já estou plenamente recuperado).

    Para quem não sabe: Meus Pais de Cabeça são Xangô Aganjú e Yemanjá Sobá. 3º Santo (que eu chamo de "Madrinha"): Iansã de Bale. 4º Santo ("Padrinho"): Obaluaiê...

    ResponderExcluir
  2. Saravá, meu mano!
    Mas o que acontece é isso mesmo: a maioria das pessoas que funcionam como "esponja" acabam funcionando sem esperar, a não ser que consigam se antecipar aos fatos e se precaverem a tempo.
    Em relação a elos que se criam entre familiares e não só a familiares, mas também a pessoas que muito nos emocionam, esse efeito "esponja" acontece independente de qualquer configuração de Coroa (as citadas não são regras totalmente rígidas e sim as mais propensas) mas quase que diretamente proporcional ao quão, mais ou menos fortes são esse ELOS EMOCIONAIS - esses que nos ligam energeticamente através do Plexo (Chakra) Solar.
    Aquele "aperto no coração", aquela sensação esquisita no epigástrio que nos "avisa" de que algo está errado com alguém próximo (familiar ou muito achegado)também costuma ser proveniente de algum abalo energético (problemas, doenças, desastres, etc) que a pessoa a nós ligada está passando.
    Lembrei-me agora do que me aconteceu no dia em que uma pessoa excessivamente amiga faleceu em um acidente a caminho de Araruama para Niterói. Como ainda sou novo nesse negócio de Blog, antes que não dê espaço pra contar, fico por aqui.
    Cobre-me se for de sua vontade, ok?

    ResponderExcluir
  3. Olá Claudio Zeus, será que vc não teria alguma bibliografia, indicação de algum livro que fale mais sobre esse lado da mediunidade que vc denominou de esponja? Porque nunca li um texto tão completo como o que vc postou em seu blog!
    E admito que tenho esse péssimo hábito de sentir muita dó não só de mim mas dos outros tbm...As vezes chego a sentir q a dor do outro dói como se fosse minha, sinto doer lá no fundo do coração... E agr criei essa situação insuportável e não consigo arcar com as consequencias... Não consigo ficar perto das pessoas, pq me passam muitas coisas pela cabeça, tenho sensações estranhas... As vzs acho que estou louca e paranóica!
    Parei de frequentar a escola, e estou indo a um psiquiatra...
    Senti um grande alivio, ao ler o seu post... Foi como encontrar uma luz no fim do túnel...
    Me desculpa pelo desabafo! Gostaria de agradecer pelo seu post e pelo seu blog...É um trabalho muito bonito esse q vc realiza, pois imagina qnts pessoas vc está esclarecendo (eu sou uma delas) e com isso apaziguando muitas dores trazidas pela ignorância!

    ResponderExcluir
  4. Puxa vida, minha amiga!
    Você sabe o que acontece? Eu nunca vi qualquer texto avaliando esse tipo de sensibilidade em local ou livro algum e foi por isso mesmo que o escrevi e batizei a coisa de "esponja", de forma que, infelizmente, também não posso ajudá-la no que me pede. No entanto, se for de sua vontade tentar saber mais e até trocar textos comigo (até sobre outros temas também), convido-a para participar das Comunidades: Casa do Caboclo Arranca Toco em http://groups.msn.com/CASADOCABOCLOARRANCATOCO/ ou, no orkut a Comunidade Umbanda Sem Medo em: http://www.orkut.com/Community.aspx?cmm=31808599&refresh=1

    Tenho certeza de que não é só você que passa por esse problema até porque já tive oportunidade de debatê-lo com várias outras pessoas e, quem sabe, se vc colocar suas dúvidas em uma das comunidades, a gente possa até estar ajudando a muitos outros que, por vergonha ou timidez, não tenham expressado suas dúvidas?

    Faz uma forcinha, faz! Vc será muito bem recebida em qualquer uma das duas.

    Que Oxalá ilumine sempre seus passos!

    Claudio

    ResponderExcluir
  5. OLÁ AMIGOS !
    Esta situacao eu estou vivenciando diáriamente.Estou sem pre pegando o que é dos outros. Estava achando que tinha enlouquecido e tanto pensar no que sentia até o momento em que percebi ser um esponja.
    Por último, como fosse num sonho,pensei muito numa pessoa que me é muito estimada e percebi próximo dela um "MANTO NEGRO" e nao é que ele ficou preso nas minhas costas gerando muita dor e angústia. Tive vontade até de sair do meu emprego devido à dor e o mau estar que estava sentindo.
    Li os dois capitulos que escreveu e preciso mudar isso urgentemente.
    Sem falar em outras situacoes até mesmo em minha casa com meu filho e minha mãe onde posso sentir sua anciedade de longe.
    Gostei muito do que escreveu e, por certo, nao foi por acaso que cheguei até voces.

    Obrigado e muita paz à todos!

    ResponderExcluir
  6. Ola!!
    Bem depois de tanta pesquisa na net, depois de tantos mediuns me terem dito que eu era uma mediun esponja, finalmente encontrei neste blog a resposta que procurava, na realidade já sabia alguns dos pormenores que escreveu mas, muita novidade estava aí escrita.
    Na verdade, nao é a melhor coisa do mundo ser um mediun esponja, é horrivel a agonia que por vezes sentimentos ao saber que é aquela pessoa nao esta bem e pior começarmos a carregar o mal todo para nós, e por vezes parece que andamos em plena batalha...
    Para cumulo eu ainda tenho sonhos com coisas futuras como se fossem avisos mas não os sei interpretar, so os consigo interpretar quando as coisas acontecem e eu lembro-me que afinal já tinha sonhado com aquilo...fora as entidades espirituais que se colam a nós...na verdade este tipo de mediunidade chama-se coluan isto em hebreu em portugues e mediun cola, mas muitas pessoas designam como meduin esponja..espero ter ajudado com o meu testemunho!!

    ResponderExcluir
  7. Olá!
    Descobri recentemente que sou um tipo de médium esponja, e agora muitas coisas que sentia antes começam a fazer sentido. Quando estou bem, com meus chakras funcionando perfeitamente, consigo bloquear quaisquer influencias ruins, de outras pessoas e etc. Quando sofro disturbios nervosos e espirituais, começo a muito mal pois não consigo bloquear essas energias e acumulo muitas energias negativos e começo a ficar muito ruim, tipo como se de um dia para outro mudasse completamente meu estado de saúde, e demoro algum tempo para me reestabilizar, através de banhos de descarrego e etc... Gostaria de saber no meu caso, o que posso fazer com este dom que recebi, como usá-lo para um propósito positivo, sem sofrer com as influencias e energias negativas que acabo absorvendo? Abs e obrigado pelo Texto

    ResponderExcluir
  8. ola! tenho 17 anos e a pouco tempo descobri que sou medium "esponja".
    cheguei ao ponto de nao conseguir estar num sitio publico senao desmaiava.
    Passaram tres meses e ja saiu de casa, mas pouco! acumulo as energias de tal forma que começo com calores e zonza.
    ja fiz banhos para limpar os chacras mas volto a sentirme mal rapidamente. gostava de saber que mais posso fazer para me proteger!
    e gostaria que me dessem dicas para poder tentar ser um pouco mais normal, e seguir com a minha vida calmamente como qualquer outro jovem!
    obrigada por eestes esclarecimentos.
    beijinhos e obrigada!

    ResponderExcluir
  9. Veja bem, Clau

    Se você já fez banhos de limpeza (descarga) e "a coisa", as sensações voltam logo, é sinal de que sua sensibilidade mediúnica está muito à flor da pele e deve ser "tratada". Pode ser até que você não seja só "esponja", mas também traga junto a você algum tipo de acompanhamento que a esteja atrapalhando, ao invés de protegendo.

    O que posso sugerir, honestamente, é que você procure um Centro Espíritra ou um bom Terreiro de Umbanda para se aconselhar diretamente, pois sem a conhecer pessoalmente e estudar o seu caso particular, é impossível, tanto fazer um "diagnóstico" de sua situação, quanto lhe dar dicas que às vezes, além de não ajudarem, podem vir até a piorar o seu problema.

    Espero que compreenda que cada um de nós é uma individualidade e, por isto mesmo, deve ser tratado(a) como tal e de acordo com os problemas que apresentar que, de certa forma, sempre são individuais também.

    Que Oxalá e Yemanjá sejam sempre LUZ, PAZ e HARMONIA em sua vida e que OGUM lhe proteja sempre nos caminhos, são meus sinceros desejos.

    Claudio

    ResponderExcluir
  10. Mediunidade esponja
    Eu gostei muito desse texto, me ajudou muito a refletir. Já tinha ouvido falar sobre o termo “esponja” lendo sobre astrologia, procurando sobre meu ascendente (em peixes). Estou estudando Umbanda a pouco tempo, os livros que encontrei aqui me ajudaram a responder muitas perguntas. Acho que o que ficou mais claro para mim foi: como ajudar aos outros se não consigo me ajudar? É um tipo de sensibilidade que te dá maior tolerância, você conseguir se colocar no lugar do outro, essa mediunidade esponja acho que pode ser entendida pela ciência como empatia, mas a ciência deixa muito a desejar nas suas explicações. Quando alguém se coloca no lugar do outro sai um pouco do seu centro. É bom ser útil, ter soluções, ser um ombro amigo, o lado ruim é criar relações de dependência, de controle, criar uma obsessão, também é uma maneira de se alienar. Estou falando isso por experiência, sempre me achei muito sensível e em alguns momentos sentia que precisava me isolar de tudo para poder me enxergar. A vaidade de quem ajuda, o apego as pessoas, situações e o orgulho, podem se manifestar de maneira muito, muito, muito, sutil. Por isso estou gostando de conhecer a Umbanda, e tb esse blog pq me levou a refletir mais profundamente sobre a humildade e o desapego e como isso é um exercício constante. E sobre o desapego? Seria o desapego uma fé de que o melhor estará sempre por vir? Estou entendendo assim...

    ResponderExcluir
  11. Já fui de umbanda.Mas tenho oyá e ogum como meus pais. Não desenvolvi eles em corrente, mas sim com as minhas preces. Fui batizada na umbanda qdo tinha 13a, padrinhos são Iemanjá e Caboclo Arranca-Toco.A oyá q tenho é de qualidade rara, ela é do balé também.Já apareceram ao meu lado, tanto Oyá como Ogum, como 2 guerreiros africanos c roupas de pele de animais, bem altos. Saí da terreira à uns 2 anos. Tenho mediunidade esponja, absorvo tudo, sinto negatividade em lugares, pessoas, chega a me estontear. Esses "e..uns", não gosto nem de falar o nome, colam em mim, chega a me gelar. Fazem 3 anos q luto sózinha. Minha vida é positiva, sou positiva, boas atitudes, pensamentos, não cultivo sentimentos negativos, sempre estou orando, já pela manhã agradeço por tudo. Não saio, não bebo nem fumo. larguei amizades problemáticas, pq eu estava absorvendo demais, doenças, dores etc.Minha casa é meu templo, meu corpo também. Sempre procuro limpar a casa c orações etc. Mas no Kardec me disseram q tenho q estudar a doutrina uns 3 anos! Já estou c problemas sérios no corpo físico, q me impedem de viver uma vida normal e de atender meus filhos. Tenho dores nas costas, fortíssimas, q até na tomografia, pelo q os médicos viram, o diagnóstico não é tanta coisa assim, p me causar tanta dor. Percebi q qdo o lugar, ou uma pessoa está carregada, me dói na hora, as costas ficam pesadas, até o ciático dói. já tomei banho e tomo banho de ervas de tudo. Penso q talvez minhas entidades queiram ajudar, daí acho q precisaria desenvolvê-las na umbanda. Porque de taaanta prece q venho fazendo desde 2009, até meus Exus desenvolveram c preces, e não me cobram coisas materiais. Mas penso q p eu viver normal, e poder atender meus filhos, não posso ficar esperando mais 3 anos de sofrimento e dores, porque "eles" sofredores "colam" em mim. às vezes me ajoelho e peço p Deus misericórdia e perdão mas q não aguento mais isso. Não sei mais o que fazer, estou desesperada. Mas de tantos espíritos que já passaram por mim, me deixaram sequelas no físico. e não pela faixa vibratória negativa, mas acho q pelo fato de eu estar purificada na minha forma de viver, e de fazer preces, e também por ter minhas entidades comigo, não consigo descarregar. Me ajude, indiretamente minha familia está prejudicada, pois preciso atender mnhas crianças não sei mais o que faço e sei que não posso me livrar disso. Obrigada

    ResponderExcluir
  12. Problema sério este seu, cara Anônima.

    Mas antes ainda de tentar lhe dar mais alguma orientação, pergunto-lhe: VOCÊ JÁ EXPERIMENTOU SEGUIR AS INFORMAÇÕES QUE ESTÃO NO TEXTO ACIMA sobre como criar um isolamento mental, como não se envolver emocionalmente?

    Entendeu o que tentei repassar quando escrevi:
    1) Perder os medos;
    2) Acreditar em nós mesmos, em nossos potenciais (não confunda com prepotência);
    3) Ativar a Força que temos em nossa mente;
    4) Usar essa coisa que todos acham muito bonito falar (a Fé) e quase ninguém a põe em prática e, com isso;
    5) Colaborar positiva e eficazmente com esses nossos Protetores e Guias, guardando-os apenas para situações incontestáveis.

    Percebeu que quanto mais medo vc tiver desta situação, mais a estará facilitando?

    Por favor, tente, se esforce e entenda que é você a dona deste corpo que usa ASSUMINDO-O POR INTEIRO e dando-se o valor que tem e que merece ter por ser uma FILHA DO UNIVERSO e trazer dentro de si a fagulha divina que a anima e a mantém viva!

    Você pode, pelo seu ESFORÇO MENTAL, ao invés de ser comandada, passar a comandar todas esses acontecimentos, DESDE QUE QUEIRA REALMENTE E SE DÊ O VALOR DEVIDO COMO UMA FILHA DE DEUS.

    No aguardo de novas informações, peço a Zambi que ilumine sua mente e seus caminhos e que vc SE ENCONTRE e, por decorrência, encontre as direções corretas que deva seguir rumo à FELICIDADE, PAZ E HARMONIA em sua existência!!

    ResponderExcluir
  13. Também esponjeio todos.Trabalho na Umbanda,sou filha de Oxum e Xangô e às vezes até depois do trabalho com eles preciso de um Exu pra me limpar.Trabalho também,na mesma casa -uma Fraternidade-com Junta Médica e a doutora que recebo tem que me liberar para que eu deixe os espíritos sofredores se pronunciarem e aí serem doutrinados.
    Já sabia que não podia me condoer dos outros e procuro ficar firme,criar paredões,pirâmides de proteção,mas parece que estou com o chacras abertos e sou pega pelo coronário e também pelas costas que doem muito.Vivo em prece,não vou em ambientes nefastos,me afasto de pessoas negativas e carregadas negativamente e mesmo assim o problema é maior que eu...Uma das coisas que me ajuda a "me fechar" um pouco são os florais .Utilizo Centaury(Bach)+Sequoia(FES)+Ruta(Minas)6 gotas 3 vezes por dia e Confid Essence tomado 7 gotas de manhã e 7 gotas à noite.Espero que ajude a quem ler.Raquel.

    ResponderExcluir
  14. Salve, Raquel.

    Beleza que você arrumou um paliativo para seu "esponjismo". Mas há uma clara indicação de falha em seus procedimentos, falha esta criada nos dias de hoje pela exumania reinante.

    Experimente, sempre que for necessária esta descarga final, ao invés de fazê-la via Exu, faça-a via "Povo do Mar, dos Rios e Cachoeira" que são os verdadeiros desagregantes de miasmas dentro da Umbanda. Depois, se ainda restar algum efeito, traga seu protetor principal de volta para terminar a obra.

    Só este procedimento, sendo repetido daqui para a frente, já lhe será bem mais benéfico, deixando-a ao final, sob outras vibrações mais saudáveis e incompatíveis com novas absorções energéticas negativas de outros, o que, aos poucos, muito certamente vai melhorar e até quem sabe, curar essa sua vulnerabilidade.

    Receba um fraterno abraço.

    Claudio

    ResponderExcluir
  15. Sabe,Irmão Claudio,depois de ter lido este seu artigo,já venho(embasada no que li aqui)me sentido bem melhor...

    Vou deixar de ser exumaníaca(ehehe)e pedir que meus protetores façam a transmutação necessária.

    Muito Obrigada pelo seu artigo,pela atenção que vem dando a cada um de nós que aqui escrevemos.

    Que Oxalá o cubra com muita Luz e Flores Perfumadas para que possas continuar com tua missão.
    Salve!
    Raquel

    ResponderExcluir
  16. Prezada irmãzinha Raquel.

    Você não tem que agradecer nada, embora seja sempre muito alvissareiro a gente poder ler ou ouvir de alguém que como você ainda possui a MENTE ABERTA e por isto tem condição de REFLETIR, que de alguma forma se pôde ser útil.

    Infelizmente estamos passando por uma fase eu que Exus (embora muito positivos em trabalhos de suas alçadas) estão se tornando ÍDOLOS de muita gente nova que já entra para a Umbanda, inclusive achando, por muitas literaturas por aí espalhadas, que Exu é praticamente um Deus, que tudo pode, que em tudo manda e por aí vai, quando "a coisa" não é e nunca foi assim.

    Filhos da UMBANDA DE FATO E DIREITO têm que entender que é a seus Guias de fato que cabe a direção de suas mediunidades e até mesmo de direcionamentos em suas vidas e não a Exu que, como nós, está tão ligado à materialidade que se mantém ainda em planos bem próximos a este em que vivemos.

    Pelo que se vê de indicações em algumas umbandas por aí, só podemos concluir duas coisas:

    1- Ou que seus dirigentes não estão inteirados das funções reais de cada Povo que em suas Bandas transitam;

    2- Ou que são Quimbandas disfarçadas de Umbandas, para as quais, aí sim, Exu é quem manda, desmanda, batiza, inicia, descarrega(?), etc.

    Sobre o que são os verdadeiros Exus, convido-a a ler, sem pressa, as matérias nos seguintes links:

    http://umbandasemmedo.blogspot.com.br/2011/07/exu-na-umbanda-o-grande-misterio-um.html

    http://umbandasemmedo.blogspot.com.br/2011/08/exu-na-umbanda-o-grande-misterio-um.html

    http://umbandasemmedo.blogspot.com.br/2011/09/exu-na-umbanda-o-grande-misterio-um.html

    http://umbandasemmedo.blogspot.com.br/2011/10/exu-na-umbanda-o-grande-misterio-um.html

    http://umbandasemmedo.blogspot.com.br/2011/11/exu-na-umbanda-o-grande-misterio-um.html

    Veja também as perguntas e respostas sobre o mesmo assunto nos links abaixo:

    http://umbandasemmedo.blogspot.com.br/2011/11/perguntas-e-respostas-sobre-exus.html

    http://umbandasemmedo.blogspot.com.br/2011/12/perguntas-e-respostas-sobre-exus.html

    Espero que possa ajudá-la mais ainda.

    Que Oxalá e Yemanjá existam sempre sob forma de muita LUZ em seus caminhos, são meus sinceros votos.

    Claudio

    ResponderExcluir
  17. Que bom ler estes comentários, e perceber que muitas pessoas passam pelas mesmas coisas que eu. Há anos que tenho muita dificuldade de estar em meio há muitas pessoas, é como se fosse banhada pelas mais diferentes emoções, me sinto exausta, durante alguns períodos ficava dias sem sair de casa. Fui em psiquiatras que me diziam que eu tinha fobias e transtornos de ansiedade. Em casa me sinto ótima, medito por longos períodos e fico em paz, mas é só pisar o pé na rua que pronto. Há pouco tempo fui pela primeira vez em uma casa de Umbanda e o mestre me disse que o meu problema era todo espiritual, e que poderia fechar esses canais que me tornam receptiva às energias alheias, mas não o faria porque achava que eu precisava disso em minha vida para desenvolver o que tenho que desenvolver. A questão é: não sou Médium, a mediunidade só me atrapalha atualmente, quero ter uma vida normal, estar no meio da galera e não sugar tudo pra mim.... me sinto um pouco cansada, são muitos anos vivendo assim. Quero saber, se eu criar esse bloqueio ao meu redor, ainda assim poderei fazer uso da mediunidade em alguns momentos não é mesmo? não entendo porque o mestre então disse aquilo.

    ResponderExcluir
  18. Salve Maria Santos

    O que eu entendo sobre a colocação do "mestre" ao qual você se refere é que ele, talvez, esteja entendendo que essas sensações que você nos descreve façam parte dos sinais que chamam um pessoa para se dedicar mais à parte espiritual de sua vida e que, se cessadas (você deixando de as sentir) deixariam de fazer parte do "chamado", já que talvez, você até se esquecesse de que ele existe.

    Você pode até não ser MÉDIUM DE INCORPORAÇÃO. No entanto, dentro do domínio das possibilidades PARANORMAIS (sendo a mediunidade de INCORPORAÇÃO apenas uma delas), você pode estar inserida sim, minha amiga. E prova disto está exatamente nesta sua perda energética com consequentes desgastes frente a situações como as que descreveu.

    Em seu lugar eu procuraria alguém mais que a pudesse orientar no sentido de "blindá-la" frente a essas situações porque além delas serem nada cômodas, podem vir a lhe causar danos físicos e psíquicos com o passar dos anos, pois ninguém aguenta, por toda uma vida e sem sofrer talvez até sérios transtornos, ficar servindo de néctar energético para possíveis vampiros psíquicos que nos rodeiam, até mesmo sem saberem que o são.

    Doenças psíquicas como fobias e transtornos de ansiedade já podem ser decorrências desse desgaste.

    Espero ter podido ajudá-la de alguma forma!

    Claudio

    ResponderExcluir
  19. Olá Cláudio, obrigada pelo retorno. Tenho ouvido e lido que a melhor forma de manter-se 'blindada' nesta situação é se fortalecer espiritualmente, meditando principalmente. Estava querendo um meio de 'retirar' essa hipersensibilidade de mim, mas tenho procurado aceitar que ela sempre fará parte da minha vida. Um abraço.

    ResponderExcluir